Com nocaute em 47 segundos, paraense Polyana Viana vence no UFC: 'Não sou só jiu-jitsu'; vídeo

Além do triunfo, a lutadora conquistou o bônus de 50 mil dólares, mais de R$ 250 mil, de ‘Performance Noite’

Aila Beatriz Inete
fonte

A paraense Polyana Viana, conhecida como “Dama de Ferro”, se recuperou da derrota que sofreu para Tabatha Ricci, em maio. Com um nocaute avassalador, a lutadora venceu, no peso-palha, a norte-americana Jinh Yu Frey no último sábado (5), no UFC Vegas 64, nos Estados Unidos. 

Polyana precisou apenas de 47 segundos para finalizar a luta. Com uma sequência de golpes conectados, a paraense levou a adversária ao chão e encerrou o combate. A atleta de São Geraldo do Araguaia, sudeste do Pará, ainda ganhou o bônus de “Performance da Noite” e levou para casa mais de R$ 250 mil. 

Além do bônus, a paraense se tornou a quarta lutadora da categoria com a vitória mais rápida da organização. Polyana fica atrás de Poliana Botelho (0:33); Amanda Lemos (0:35) e Zhang Weili (0:42). 

VEJA MAIS 

image Em podcast, paraense Deiveson Figueiredo diz que UFC ‘quer’ Brandon Moreno campeão
Os dois fazem a primeira tetralogia do Ultimate em janeiro de 2023, no UFC Rio

image Para voltar a vencer no UFC, paraense Polyana Viana quer luta movimentada contra norte-americana
Combate ocorre neste sábado (5), no UFC Vegas 64, nos Estados Unidos, contra Jinh Yu Frey

Em entrevista ao UFC, Polyana disse que estava muito feliz por ter conseguido por em prática o que havia treinado, mas contou que não esperava que fosse finalizar tão rápido. 

“Estava contando com o nocaute porque a gente treinou muito a parte de cima, mas não esperava que fosse ser tão rápido. Eu estou muito feliz de [poder] mostrar para a galera que eu não sou só jiu-jitsu, muita gente pensa que eu só tenho jiu-jitsu, mas eu estou evoluindo mais e logo eu seria a lutadora mais completa do UFC”, declarou a paraense. 

A última vitória por nocaute da lutadora havia sido em 2015, quando derrotou a brasileira Amanda Ribas no Jungle Fight 83. Para alguns fãs do UFC, a sequência de golpes da paraense lembrou a de Vitor Belfort em cima de Wanderlei Silva, em 1998, na primeira edição do Ultimate no Brasil. 

Veja a comparação 

Com isso, agora, a “Dama de Ferro” tem quatro vitórias na e quatro derrotas na organização. No cartel, são 13 triunfos e cinco reveses. Após a rápida vitória, Polyana disse que gostaria de lutar em janeiro de 2023, no UFC Rio. 

Além de Polyana, a paraense Amanda Lemos venceu a gaúcha Marina Rodriguez na luta principal da noite também por nocaute, no terceiro round. Com o resultado, a lutadora pode ser a próxima desafiante ao cinturão do peso-palha.

 

Mais Esportes
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM MAIS ESPORTES

MAIS LIDAS EM ESPORTES