Parazão 2023 é paralisado por decisão liminar do STJD; Paragominas é autor do pedido

Competição, que deveria começar neste final de semana, não tem data para ocorrer à pedido do Paragominas, que foi rebaixado em 2022

Pedro Cruz e Fabio Will
fonte

O Campeonato Paraense de 2023 está adiado e sem data para ser iniciado. A primeira partida da competição seria neste sábado, entre Remo e Independente de Tucuruí, porém, uma liminar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), nesta sexta-feira (20), determinou a paralisação do torneio a pedido do Paragominas, que, rebaixado no Parazão do ano passado, pleiteia o retorno à elite do estadual alegando irregularidades no registro dos jogadores Hatos e Guga, que na edição passada estavam jogando no Bragantino e Águia de Marabá, respectivamente. 

Procurado, o presidente em exercício da Federação Paraense de Futebol (FPF), Ricardo Oliveira, informou que está em reunião com dirigentes e que a instituição irá se pronunciar por meio de nota.

VEJA MAIS 

image Com Parazão suspenso e presidente da FPF fora do Brasil, membros da FPF reúnem para debater situação
O maior estadual do Norte do Brasil foi suspenso um dia antes da abertura

image Parazão: quanto os clubes vão receber do governo?

image Árbitros e assistentes participam de qualificação para o Parazão 2023
Evento ocorre entre 13 e 15 de janeiro e reúne 52 profissionais da área

Entenda o caso

Após serem expulsos e punidos pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) por atos de indisciplina praticados quando jogaram a Segundinha pelo Itupiranga, em 2021, Guga e Hatos jogaram por outros clubes no Parazão de 2022 e não cumpriram as devidas suspensões apenadas pelo TJD/PA. O primeiro pegou dois jogos e cumpriu um, enquanto o segundo teve ampliada para cinco jogos e também cumpriu um

Guga então assinou contrato com o Águia de Marabá e Hatos primeiro com o Cametá, para a disputa da Segundinha, e depois com o Bragantino, já na Série A estadual. Os dois clubes foram denunciados pelo Paragominas, mas alegaram ter o respaldo da FPF. Com o caso na Justiça, o Itupiranga foi acionado ante alegação de não ter comunicado os atletas sobre as punições impostas no TJD/PA, mas conseguiu reverter o quadro. Após análise, TJD/PA também decidiu anular as acusações contra Hatos e Guga e retomou o Parazão 2022, mantando o PFC rebaixado. O Jacaré, por sua vez, foi recorrer da sentença em primeira instância junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). 

VEJA MAIS 

image Casa nova: Tapajós constrói estádio para usar no Parazão 2024
Local conta com uma estrutura simples, mas com todos os requisitos necessários para receber uma partida de futebol profissional.

No dia 20 de outubro, o Pleno do Tribunal decidiu, por unanimidade, anular todas as decisões até então divulgadas pelo TJD/PA e pedir novo julgamento, o que foi feito em 20 de dezembro do ano passado. O TJD manteve o Paragominas rebaixado e multou o Itupiranga em R$ 30 mil, por ter esquecido de notificar os jogadores sobre as referidas punições. Apesar da nova derrota, o Paragominas não desistiu do caso e entrou com novo recurso no STJD. Nesta sexta-feira (20), o Tribunal Superior ordenou a paralisação do Parazão 2023 até que o Pleno possa avaliar o novo pedido do PFC e, assim, dar uma decisão definitiva.

Na interpretação do STJD, como o caso pode afetar os clubes participantes do torneio, a preferência é que a competição só inicie ao fim do caso.

Parazão
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM FUTEBOL

MAIS LIDAS EM ESPORTES