Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Valor da conta de luz deve aumentar em quase 5%; entenda

No Norte e no Nordeste, o impacto é de 2,41%

Luciana Carvalho

Os consumidores já podem preparar os bolsos. A  Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou nesta terça-feira (26), um orçamento de R$ 32,1 bilhões para financiar subsídios e assim, a conta de luz deve ficar mais cara, com alta de 4,6%, segundo a instituição. As informações são da Folha de S. Paulo.

O consumidor vai pagar R$ 30,2 bilhões, alta de 54,8% em relação a 2021. O valor de 4,65% pode impactar diretamente as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Já no Norte e no Nordeste, o impacto é de 2,41%. Na média nacional, são R$ 3,39%.

VEJA MAIS

Prévia da inflação fica em 1,73% em abril, a maior para o mês desde 1995 Com alta de 7,51%, a gasolina foi a principal responsável pela alta de preços

Gasolina aumenta pela segunda semana seguida e atinge novo recorde O preço médio do litro da gasolina no país ficou em R$ 7,270

Os subsídios são cobrados por meio de um encargo chamado CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), pago mensalmente pelos consumidores em sua conta de luz. Também é de responsabilidade da CDE os benefícios de energia elétrica para população de baixa renda, a geração de energia e sistemas isolados do Norte do país, energia por carvão mineral e investimentos em eletrificação rural.

O maior volume de recursos aprovados para 2022 será destinado à compra de combustíveis para a geração de energia em sistemas isolados, com R$ 11,9 bilhões. Os descontos concedidos no uso das redes de transmissão e distribuição, onde se encaixam os clientes de geração distribuída terão R$ 11,7 bilhões.

(Luciana Carvalho, estagiária, sob supervisão de Keila Ferreira, Coordenadora do Núcleo de Política.)

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA