Renda extra é bem-vinda em momentos de crise

Com ou sem ocupação formal, muita gente opções para equilibrar as contas

Elisa Vaz

O alto índice de desemprego e a pequena oferta de vagas no mercado de trabalho formal são alguns dos motivos para que profissionais procurem outras formas de ganhar dinheiro. De acordo com a Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Econômico (OCDE), em todo o mundo, os prestadores de serviços não convencionais já representam 40% da força de trabalho total. Apenas no território paraense, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IGBE) mostra que 35,6% das pessoas ocupadas no segundo trimestre deste ano, entre abril e junho, eram informais, ou seja, atuavam por conta própria, totalizando 1,2 milhão de trabalhadores.

De acordo com o economista Pablo Reis Damasceno, o Brasil passa por uma conjuntura econômica desfavorável, e uma parcela dos trabalhadores que não conseguem vaga no mercado formal de trabalho tende a procurar outras formas de ocupação e fonte de renda. É o caso do biólogo Victor Valadares, de 27 anos. Formado há pouco tempo, o profissional já conseguiu um emprego na área, para dar aulas em turmas de vestibular, com foco no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Mas, segundo ele, o salário não é suficiente para pagar todas as contas.

Após ser contratado pelo colégio, Victor decidiu sair da casa dos pais e alugar um apartamento pequeno. Além do aluguel, ele também paga condomínio, conta de energia elétrica, gás, internet, academia e faz compras em supermercado. “Logo nos primeiros meses me endividei e precisei pedir uma ajuda aos meus pais. Continuei apertado e não queria recorrer a eles de novo, então fui para o crédito especial, que virou uma bola de neve e não consegui pagar com meu salário. Mesmo cortando despesas, não deu para controlar as dívidas, então tive que buscar outras formas de arrumar esse dinheiro”, relembra.

Para reverter a desorganização do orçamento e quitar os débitos com o banco e com os pais, o professor procurou aplicativos que oferecem opções rápidas para ganhar dinheiro. O que encontrou foi um aplicativo de entrega de comida. Como já tinha uma motocicleta, aproveitou a oportunidade. “Eu trabalho de manhã e de tarde como professor e, no tempo livre, à noite, comecei a fazer entregas, todos os dias. Consigo ganhar, mais ou menos, R$ 80 reais por dia, isso é muito bom porque tiro R$ 300 por semana. Não é suficiente para pagar todos os juros, mas o valor mensal é de, aproximadamente, R$ 1.200. Não dá para viver disso, mas é uma renda extra muito boa”, destaca o profissional.

Entretanto, para arrecadar tudo isso, Victor conta que precisa trabalhar todos os dias, por cerca de quatro horas. Na avaliação de Damasceno, o ideal para a economia é que os trabalhadores deixem a informalidade com o tempo. Isso pode ocorrer quando ele se torna um microempreendedor individual (MEI) ou quando cria uma pequena empresa. A empresária Cintya Guerra, de 36 anos, por exemplo, começou a seguir uma modalidade de trabalho em busca de uma renda extra, mas acabou aumentando o negócio e hoje toda a sua remuneração vem da empresa de hospedagem de animais.

A ideia surgiu porque Cintya possui três cachorros. Quando precisou sair de férias, percebeu que não havia um local apropriado para hospedá-los durante o período. “Queria algo mais aconchegante, para que eles realmente se sentissem em casa. Foi quando veio a ideia do hostel e adaptei minha cada para fazer a hospedagem dos pets”, lembra. Ela recebe cães de pequeno e médio porte, normalmente, mas também acomoda um labrador e um golden de grande porte e uma gata.

“Quando comecei, eu conciliava a iniciativa com a graduação de medicina veterinária e consultoria no âmbito jurídico, mas hoje estou dedicada ao hostel porque a demanda me exigiu. O que antes representava 30% da minha renda hoje ocupa 100%”, disse a empresária. Cintya ainda contou que o empreendimento está em crescimento. O diferencial, no início, era a supervisão durante o dia todo e criar hábitos de rotina para os animais, como alimentação, passeios e comportamento em casa. Depois, ela acrescentou os serviços de transporte, banho e tosa para os hóspedes. “É importante que o mercado cresça e fique cada vez melhor para dar conforto e bem estar para eles”.

Como a proprietária cresceu em um ambiente em que o empreendedorismo é referência, antes de montar o hostel, fez um planejamento. Segundo ela, isso a ajudou a visualizar possíveis contratempos e achar a solução antes que aconteça. Até hoje, Cintya nunca teve problemas quanto a pagamento. “Trabalhar na área de pets e com os tutores é muito bom, pois eles querem o melhor para os seus "filhos", especialmente alguém que possa fazer tudo aquilo que eles fazem. Então nunca tive problemas”, conta.

Outras opções para ganhar uma renda extra é alugar um cômodo da casa para turistas que estão na cidade. Na primeira semana de agosto, a média cobrada num quarto inteiro pelos aplicativos de aluguel é de R$ 124 por dia, ou seja, uma renda extra de mais de R$ 800 em uma semana de aluguel. Ainda de acordo com o economista Pablo Damasceno, o ideal é que essa renda extra seja utilizada para quitar dívidas com juros dispendiosos, mas, se não houver endividamento, esse recurso pode ser aplicado em investimentos tradicionais para situações de emergência ou mesmo para melhorar o negócio com bens de capital: ampliação, marketing e compra de equipamentos, por exemplo.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!