Produção industrial repete avanço de 0,3% em setembro, segundo dados do IBGE; Pará tem queda

Em comparação com setembro de 2018, a produção industrial recuou na maioria dos locais pesquisados

Agência Estado

A produção industrial no Brasil cresceu em 10 dos 15 locais pesquisados na passagem de agosto para setembro, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na média global, a indústria nacional avançou 0,3% em setembro ante agosto. O índice foi o mesmo registrado em agosto em comparação com julho.

Em São Paulo, maior parque industrial do País, houve uma perda de 1,4%. Também houve recuos no Pará (-8,3%), Amazonas (-1,6%), Rio de Janeiro (-0,6%) e Goiás (-0,1%).

Confira as maiores altas na produção:

  • Bahia (4,3%)
  • Região Nordeste (3,3%)
  • Rio Grande do Sul (2,9%)
  • Espírito Santo (2,5%)
  • Minas Gerais (2,4%)
  • Pernambuco (2,3%)
  • Santa Catarina (2,1%)
  • Mato Grosso (2,0%)
  • Paraná (1,3%)
  • Ceará (0,2%)

Anual

Já em comparação com setembro de 2018, a produção industrial recuou na maioria dos locais pesquisados em setembro deste ano em relação a setembro do ano passado. Houve crescimento em apenas seis dos 15 locais pesquisados. Na média global, a indústria nacional avançou 1,1% em setembro deste ano ante setembro do ano passado.

Os avanços ocorreram no Amazonas (16,7%), Paraná (7,4%), Rio de Janeiro (7,0%), Santa Catarina (5,2%), São Paulo (3,6%) e Goiás (1,6%). A produção do Ceará ficou estável (0,0%).

Na direção oposta, a indústria teve perdas no Espírito Santo (-14,1%), Pernambuco (-7,6%), Região Nordeste (-3,8%), Pará (-2,0%), Minas Gerais (-1,8%), Mato Grosso (-1,7%), Bahia (-1,4%) e Rio Grande do Sul (-1,1%).

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!