Comissão aprova parecer de relator que mantém previsão de receita em Orçamento da União para 2023

O relatório foi aprovado sem discussões e o texto agora segue para o Plenário do Congresso

O Liberal
fonte

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) aprovou, na tarde desta quarta-feira (23), o relatório da receita do Orçamento de 2023, elaborado pelo deputado paraense Hélio Leite (União-PA), que mantém a previsão do governo de R$ 2,25 trilhões em receitas primárias, contida no projeto da Lei Orçamentária (PLN 32/22). 

O relator acrescentou somente R$ 1,2 bilhão de arrecadação da Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica (Condecine). Hélio Leite explicou que preferiu não mexer nos demais itens da proposta, mesmo que alguns parâmetros macroeconômicos pudessem ser atualizados. “Consideramos adequados os parâmetros constantes do PLOA. Embora existam prognósticos mais atualizados de evolução de parâmetros e da arrecadação, abstivemo-nos de incluir alterações no Orçamento de 2023 em virtude de incertezas quanto às decisões que serão tomadas pelo novo governo”, explicou.

VEJA MAIS

image Suspensão de passaporte: Comissão Mista de Orçamento deve liberar verba para a Polícia Federal
Nesta terça-feira, a Polícia Federal informou que a suspensão continua e não há prazo para a sua normalização

image Geraldo Alckmin e Celso Sabino debatem mudanças no orçamento para governo Lula
O parlamentar paraense disse que o novo governo deve decidir em breve qual é a melhor proposta legislativa para alterar o orçamento de 2023

image Emendas ao Orçamento garantem R$ 1,5 bilhão para conclusão da Transamazônica
Proposta para destinação de recursos para o trecho entre Altamira e Rurópolis teve apoio do Colégio de Líderes da Câmara dos Deputados

Pelo regime do teto de gastos, toda receita extra que for alcançada em 2023 deve ser destinada para o pagamento da dívida pública. O refinanciamento da dívida vai consumir outros R$ 2 trilhões em receitas financeiras em 2023.

Para o ano que vem, o projeto estima que as despesas com custeio e investimentos devem superar as receitas de impostos em R$ 63,7 bilhões. Ou seja, o resultado final será um déficit.

“A aprovação da receita orçamentária nos termos propostos pelo Executivo permitirá a continuidade da análise da proposta orçamentária pelo Congresso Nacional e deixará para a nova gestão, no seu devido tempo, o anúncio de medidas para reforço dos cofres públicos com vistas à redução mais rápida do déficit público”, disse, em nota, o deputado Hélio Leite. 

O relatório foi aprovado sem discussões e o texto deve ir ao Plenário do Congresso em 16 de dezembro.

Palavras-chave

Economia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA