Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Belém tem a menor inflação entre as capitais, segundo o IBGE

Em relação aos dados de dezembro, Região Metropolitana de Belém é a terceira região do País com a maior alta

O Liberal

Dezembro fechou com a taxa de 0,95% na região metropolitana de Belém, índice bem maior que o de novembro do mesmo ano, com 0,03% negativo. No mês de dezembro de 2021, Belém ficou atrás somente de Salvador e Recife, com 1,04% e 1,05% respectivamente. Mas, no acumulado do ano, a região metropolitana de Belém atingiu o último lugar na escala das capitais, alcançando o índice de 8,10% em contraste com 12,73% de Curitiba. Os dados são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) divulgados nesta terça-feira (11) pelo IBGE.

O mês de dezembro foi o terceiro mês com a maior alta na região no ano de 2021, ficando atrás somente de setembro (1,04%) e fevereiro (1,41%). Apesar disso, quando comparado com dezembro do ano anterior, as taxas estão mais amenas, tendo em vista que no respectivo período de 2020, o índice era de 1,51%.

Dentre os produtos e serviços que tiveram destaque com a maior alta na região em dezembro de 2021, destacam-se "Saúde e Cuidados Pessoais" (1,86%), seguido de "Habitação" (1,46%) e "Artigos de Residência" (1,31%). Já os produtos ou serviços que tiveram menos impacto foram o de "Educação" (-0,06%), junto com "Alimentação e Bebidas" (0,19%) e Comunicação (0,34%).

No ano

No que diz respeito à acumulação variada do ano, a região metropolitana de Belém atingiu o último lugar na escala das capitais, alcançando o índice de 8,10% em contraste com 12,73% de Curitiba, a região que teve o maior índice.

Nas taxas de variação do acumulado do ano em Belém, o maior impacto veio dos “Transportes” (17,73%), ao lado de “Habitação” (14,74) e “Artigos de Residência” (12,28%). Já a menor repercussão veio de “Saúde e Cuidados Pessoais” (1,11%), seguido de “Comunicação” (1,35%) e “Despesas Pessoais” (2,89%).

Quanto aos dados em relação ao Brasil, a inflação subiu 0,73% no país em dezembro, o que significou 0,22 ponto percentual abaixo da taxa de 0,95% registrada em novembro. Com isso, o ano de 2021 se encerra com variação de 10,06%, acima dos 4,52% registrados em 2020. Todos os grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram alta em dezembro no território brasileiro. A maior variação veio de “Vestuário” (2,06%), seguida de “Artigos de Residência” (1,37%) e “Alimentação e Bebidas” (0,84%).

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA