Paraense acompanha apresentação do Jornal Nacional por Priscilla Castro

Famílias e grupos de amigos se reúnem para assistir à edição do telejornal

Redação Integrada de O Liberal

Levando a estrela do Pará a milhões de lares brasileiros, a jornalista Priscilla Castro apresentou, nesse sábado (28), ao lado de Carlos Tramontina, o Jornal Nacional, o telejornal de maior destaque e importância do Brasil. A apresentação da jornalista paraense, que comanda, diariamente, a bancada do JL1, da TV Liberal, filiada da Rede Globo, faz parte das comemorações de 50 anos do telejornal. A cada sábado, uma dupla de jornalistas dos 26 estados e Distrito Federal assumem, por uma noite, a responsabilidade e o privilégio de mostrar ao resto do Brasil um pouco da sua terra natal.

No sábado, pontualmente às 20h30, bares, lanchonetes e praças de alimentação pararam para acompanhar a transmissão do JN, apreciar, torcer e vibrar com a apresentação da jornalista paraense. No Boulevard Shopping Belém, por exemplo, foi montada uma mega estrutura para permitir que os telespectadores acompanhassem cada detalhe da edição com a jornalista Priscilla Castro, com direito a telão, som e iluminação dignos de uma Copa do Mundo. Até o clima no local era de muita expectativa e alegria pela representação paraense no jornal mais famoso do Brasil.

Clima de torcida em Belém na hora do JN (Cristino Martins/Redação Integrada de O Liberal)

Assim que a apresentadora surgiu à frente das câmeras, centenas de clientes do estabelecimento, que sentaram ao redor do telão, aplaudiram e ovacionaram a aparição, gritando palavras de incentivo e encorajamento. No local, muitas famílias, casais, grupos numeroso de amigos se reuniram para assistir ao telejornal com rosto, sotaque e trejeito paraense.

De olhos atentos ao televisor gigante, a dona de casa Ruth Angélica Sardinha, de 58 anos, contou que é uma grande fã do trabalho da apresentadora no JL1 e por isso decidiu prestigiar esse momento especial e marcante da carreira da comunicadora. "Vim acompanhar porque vale a pena. É emocionante ver alguém daqui levar a imagem do Pará tão longe, no jornal de maior importância no País. É um grande orgulho. Eu acompanho o trabalho dela, acompanho o JL1, não perderia esse momento por nada", disse a admiradora, enquanto tirava fotos com o celular para eternizar a passagem da apresentadora no jornal.

A cada abertura e encerramento de bloco, mais torcida, aplausos e elogios à apresentadora e ao Pará. Em meio a bebidas, lanches e muitas histórias, o administrador José Wilson Júnior, de 30 anos, organizou uma verdadeira caravana para acompanhar a apresentação da jornalista.

No grupo dele, mais de dez pessoas se reuniram animadamente para assistir ao telejornal. "A gente se programou para vir todo mundo assistir. A gente acha extremamente importante ter esse destaque do Pará, da Priscilla, da nossa cultura. Em primeiro lugar, a gente fica muito orgulhoso em saber que um profissional dessa magnitude do nosso Estado está representando tão bem, em rede nacional. É o jornal de maior destaque. A gente ficou muito feliz. A gente já acompanha o trabalho dela. Todo mundo podia estar em casa descansando, mas a gente fez questão de vir aqui acompanhar de perto. O Pará foi muito bem representado", comentou alegre.

Nas redes sociais, a aparição da apresentadora paraense também causou alvoroço. Muitos internautas elogiaram a segurança e a desenvoltura da comunicadora. "Arrasou", "parabéns", "representou muito bem o Pará", "emocionante" foram as frases mais utilizadas para falar da breve passagem da jornalista no JN. No final do programa, a apresentadora, visualmente emocionada, agradeceu à equipe de trabalho, amigos e ao Pará pela inigualável e inesquecível oportunidade. "Obrigada, meu Pará", encerrou a apresentadora. 

Segurança

A jornalista paraense se mostrou segura na bancada do telejornal mais importante do País, refletindo a experiência de Priscilla Castro no jornalismo. A paraense apresentou as chamadas com sobriedade e domínio técnico, sem erros. Priscilla chamou, inclusive, uma reportagem sobre Belém: “Grafite transforma em obras de arte casas da população ribeirinha no Pará”.

O governador Helder Barbalho parabenizou a jornalista no Instagram.

Experiência

Priscilla Castro chegou ao Rio de Janeiro na quarta-feira logo cedo, para os últimos preparativos visando a sua atuação à frente do JN. Com a simpatia e profissionalismo, Priscilla vive um momento especial na carreira como profissional de comunicação. "Tenho uma frase que diz que 'o que Deus faz é bem feito'. Acredito que esse momento veio somar à minha carreira e me mostrar que nunca é tarde pra acreditar e fazer algo novo", ressalta a jornalista.

Conquistas

Priscilla, ou simplesmente Pri, como costuma ser chamada pelos colegas de profissão, contabiliza 17 anos de jornalismo. "E todo esse tempo na TV Liberal. Entrei em 2002 como produtora. Um ano depois fui para a repostagem. Apresentei o programa Liberal Comunidade, É do Pará, até ir para os telejornais diários: JL2 e JL1 onde estou há 10 anos".

Formada pela Universidade Federal do Pará (UFPA) em Comunicação Social - habilitação em jornalismo, Priscilla contou sobre como surgiu a oportunidade para apresentar o JN. "Estava na lista de nomes da TV Liberal com meus amigos queridos João Jadson e Márcio Lins. Houve sorteio e saiu meu nome. Foi uma felicidade enorme e está sendo uma grande responsabilidade representar nosso jornalismo, além do Pará."

Sobre a preparação para o grande momento no JN, a jornalista informou que foi intenso, e incluiu preparação vocal com a fonoaudióloga Márcia Salomão e apresentação de programas-piloto com o formato do JN. "Tenho tido um apoio enorme dos colegas da redação para que esse momento seja perfeito", disse

Ela entende os 50 anos do JN como "um momento importante do jornalismo brasileiro". "O principal jornal do País tem muita contribuição a dar. É uma trajetória de 50 anos que não se fez sozinha. São muitos profissionais envolvidos e que se doaram pela notícia, por informar os telespectadores". Priscilla revela que quando começou no jornalismo ainda não sabia qual área seguir; mas logo foi despertada para o telejornalismo, que tem no JN seu principal veículo no Brasil. "Amo o que faço e me dedico a isso", acrescenta.

Priscilla Castro atuou como repórter de rua por seis anos, "onde aprendi muito como profissional e pessoa; conheci diferentes realidades, algumas duras e cruéis, outras de esperança". Para Priscilla, ser jornalista "é saber que a informação precisa ser dada de forma clara, direta e ouvir os lados envolvidos".

Televisão
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!