Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

'O corpo é meu, ninguém põe a mão': livro ensina crianças e adolescentes sobre abuso

As escritoras Tatiane Moreira Lima e Denise Natale esperam ajudar a identificar situações de abusos e incentiva a denúncia

Sonia Ferro

A arte é uma importante ferramenta de educação. Entendendo isso, a juíza Tatiane Moreira Lima, titular da Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, em São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo, e a jornalista e editora Denise Natale escreveram em parceria o livro infantil “O corpo é meu, ninguém põe a mão”, baseado em casos reais de situações de abuso.

Com cuidado e delicadeza, as autoras traduzem o crime a que crianças e adolescentes são submetidos todos os dias no Brasil, buscando alertar crianças, adolescentes, pais, amigos, pessoas próximas da família e professores a identificar os abusos e denunciá-los.

A publicação conta a história de Estrela, uma gata alegre e brincalhona, que adora esportes, salta todos os dias e sonha disputar os jogos olímpicos da floresta. Tudo muda quando ela conhece Lupi Lantra, a raposa amiga de seu pai. Aos poucos, com presentes e brincadeiras, a raposa ganha a amizade da gata e de seus irmãos. Começa então o abuso, que passa por segredos que a família não pode saber, visitas escondidas à casa da raposa e muitas ameaças.

As ilustrações de Veridiana Scarpelli captam com suavidade o abuso vivido pela gata Estrela, os monstros que passam a cercá-la, até o alívio ao revelar sua história e a punição do abusador, a raposa Lupi Lantra.

Além de alertar sobre as formas de abuso, o livro indica os caminhos para buscar ajuda institucional, e isso é bastante relevante: dados oficiais apontam que em 90% dos casos os agressores não são denunciados e seguem impunes.

“Educação sexual em casa e na escola é cada vez mais urgente e deve ser constante, para que a vítima tenha elementos para reconhecer o abuso e denunciar o drama que está vivendo”, afirma a jornalista Denise Natale, uma das autoras do livro que esperam com ele combater a desinformação, oferecendo informações corretas sobre o próprio corpo a crianças e adolescentes.

Com 56 páginas, a publicação foi lançada pela editora Papagaio é indicada para leitores a partir de 6 anos.

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA