Keane volta ao Brasil para show único

Após uma pausa de seis anos, a banda volta com álbum novo e turnê

Agência Estado

A espera acabou. Após uma pausa de seis anos, a banda Keane voltou à ativa em 2019 com álbum novo e turnê pela Europa e pelas Américas. Neste domingo, 1º, é dia de o Brasil receber o grupo. Já foram mais de quatro dezenas de shows desde junho, como para voltar a sentir a energia da estrada companheira desde a explosão de Somewere Only We Know, no início dos anos 2000. A turnê mistura antigos sucessos da banda com as faixas do disco mais recente, Cause and Effect.

A apresentação de hoje no Espaço das Américas, a partir das 19h, encerra a maratona latina de Tom Chaplin (vocal), Tim Rice-Oxley (piano e vocal), Jesse Quin (baixo) e Richard Hughes (bateria). Daqui, voltam para mais concertos na Europa.

Amigos desde a infância, Tom e Tim viram o sucesso e a estrada sufocarem o sonho conjunto de compartilhar música. Tom enfrentou vícios, depressão e ansiedade, Tim, o esgotamento causado pela carreira e pelo fim do casamento.

O desejo de tentar de novo pôs fim ao hiato da dupla. O desenho do novo álbum nasceu no fim de 2018, quando Tom visitou o amigo pouco antes do Natal e quis ouvir o que o pianista vinha compondo. Parece que funcionou e rendeu uma série de vídeos. "Senti falta do Tom interpretando minhas músicas", disse Tim. Ele precisava ouvir novamente a voz doce e potente de Tom. Ao escutar as músicas, a vontade de Tom de cantar junto voltou. "Nosso sonho era ser como U2 e Radiohead. Até certo ponto a gente viveu isso, mas não sei se nos fez felizes."

Com fãs dedicados, o quarteto foi capaz de esgotar os ingressos de vários shows do lado de cá do Atlântico. É a quinta apresentação da banda no Brasil, considerando, inclusive, quando abriu para os americanos do Maroon 5, em 2012.

O segredo do sucesso pode estar no tom apaixonado das melodias, mesmo nas mais melancólicas. No álbum Cause and Effect, as novas músicas fazem um retrato das experiências humanas, ao falar de sentimentos como desilusão, desespero e mágoa, mas também de esperança e amor. Agora, as canções discutem não só os corações partidos da juventude, mas também o eventual peso da idade. Problemas amorosos surgem em Stupid Things e as armadilhas da mente são tema do single The Way I Feel, mas a sonoridade ainda lembra Hopes and Fears, de 2004, disco de estreia do Keane.

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA