Fundo de Quintal faz show em Belém

O grupo carioca participa do 'Último Samba de Raiz', neste sábado, 7, no Pará Clube

Ana Carolina Matos

A estrada que começou no final da década de 1970 se mostra consolidada até os dias de hoje quando o assunto é o Fundo de Quintal. O grupo de samba considerado um dos maiores e mais representativos do gênero é a atração principal do show "Último Samba de Raiz", que ocorre hoje, 7, a partir das 21h no Pará Clube, em Belém. Além dos gigantes do samba, a noite conta ainda com as apresentações de Arthur Espíndola, Marquinho C9 e Banda, Luizinho Moura, Cris da Fé e Mestre Cavalo.

No grupo desde a formação inicial - que contava com a participação de Almir Guineto, Bira Presidente, Jorge Aragão, Neoci, Sereno e Sombrinha - Ubirany explica que a apresentação na capital paraense traz dois universos do grupo: as canções clássicas que marcaram as primeiras fases de sucesso dos sambistas e também lançamentos mais recentes não menos aclamados pelo público. "O repertório é a nossa história. A gente tanto canta o samba do primeiro disco como canta um samba mais recente que nós gravamos. A gente percebe que o nosso público canta o repertório atual e canta com a mesma alegria da nossa primeira música", destaca o artista.

Com uma simpatia que parece a personificação do próprio samba em alguém, Ubirany fala com carinho da relação com o público paraense. "Uma das coisas mais gostosas que tem fazer é fazer um show em Belém porque o carinho e a participação efetiva do público é algo muito sério. Há uma troca bem legal no palco com a gente. O público tá inteirado de todo o repertório, basta fazer a introdução que já vem cantando junto", pontua o sambista.

A força do samba

Questionado sobre a fase que o samba vive no Brasil atualmente, Ubirany avalia com otimismo os novos artistas que se aventuram no gênero originado na capital carioca que se tornou, há muitos anos, uma marca registrada da alegria e jeito leve de viver dos brasileiros. "Tem muita gente boa aí. Não só os mais antigos, como a garotada. Não vou citar nomes porque a gente sempre esquece, né? Mas tem uma garotada com propriedade aí pra manter a bandeira do samba lá no alto como nós do Fundo de Quintal fazemos", pondera.

Ciente que faz parte de um grupo que fez e faz história, Ubirany não esconde a vaidade de ser tido como uma referência da nova geração. "É uma alegria grande que nós temos quando, durante uma entrevista em que perguntam sobre referência, esses mais jovens citam o Fundo de Quintal. Quer coisa mais gostosa que isso?", declara. "É um grupo em que já passaram nomes como Almir Guineto, Jorge Aragão, Arlindo Cruz, Ronaldinho do Banjo, Mário Sérgio, Sombrinha, Cleber Augusto... Então a gente criou a coisa com muita responsabilidade e competência", acrescenta.

Sobre os integrantes mais recentes - Márcio Alexandre e Jr. Itaguaí, que somam-se ao grupo formado por Sereno e Bira Presidente, além de Ubinary - o sambista é categórico. "Se encaixaram como uma luva na nossa formação. Antes de tudo já éramos o Fundo de Quintal, já vivenciamos o samba há muitos anos. Então pra nós fazer parte do grupo é como ser convocado pra seleção. E deixa a gente muito feliz ver que eles vieram pra somar", ressalta. "Nós do grupo temos 43 anos de estrada e nós já vimos como acontece com o samba, né? Tem os momentos de alta e os momentos de agonia. Aliás, isso é exagero. O samba pára, mas não agoniza. Não morre, não", conclui.

Agende-se:

Show "Último Samba de Raiz"

Hoje, 7, a partir das 21h
Pará Clube (Tv. Lomas Valentinas, 1507)
Ingressos: centrais Bis do Shopping Pátio Belém, Shopping Castanheira e Boulevard Shopping
Informações: (91) 98294-4403

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA