Crias do Curro Velho leva folia das ruas para dentro de casa

Participam além do grupo de samba da Vila da Barca, o músico Pawer Martins, o mestre Marquinho Melodia e Laércio do Pandeiro

Andreza Gomes, especial para O Liberal

Terça-feira gorda é dia de “Carnaval em casa com as Crias” esse é objetivo da live que será transmitida nesta terça-feira, 16, às 19h, pelo facebook do Prestúdio para levar cultura e entretenimento para todos aqueles que admiram o trabalho das crianças e jovens que integram a Escola de Samba Crias do Curro Velho, no bairro do Telégrafo.

O músico Pawer Martins, 29, idealizador do evento, conta que no domingo, 13, músicos, mestre Muka, crianças e jovens da bateria show das Crias do Curro Velho gravaram para o evento desta terça. “Nós antecipamos com a gravação de alguns takes, respeitando todos os protocolos de segurança e nesta terça-feira teremos convidados especiais participando desta grande festa do samba das Crias do Curro Velho”, conta.

Todos os artistas participam por meio de vídeo. “Eu e o mestre Muka de Souza estamos organizando. Participam o grupo de samba da Vila da Barca, o mestre Marquinho Melodia que irá cantar os melhores sambas de enredo do Carnaval de Belém e nacional. E também contamos com a presença Laércio do Pandeiro”, detalha o músico.

O objetivo da live “Carnaval com as Crias em Casa” é entreter por meio de vídeo a comunidade da Vila da Barca e de Belém. “Uma programa diversificado. Fizemos uma enquete para ver o melhor horário e todos escolheram a noite. Vai ser no facebook do Pestúdio. Hoje eu tenho 29 anos, e já fui Cria da Escola de Samba. São mais de 700 crianças que não tem oportunidade de participar do Carnaval, em função da pandemia, a Escola de Samba Crias do Curro Velho sempre saia há mais de 20 anos pelas ruas do Telégrafo, levando uma mensagem de cidadania, preservação do meio ambiente e cultura”, finaliza.

“É sempre gratificante ajudar o próximo, a arte-educação é um trabalho muito sério, porque transforma vidas e dar oportunidades para as pessoas trilharem caminhos diferentes. Estou cursando música, mas já dou aula há 14 anos como arte educador. Me sinto muito feliz fazendo esse trabalho para a comunidade. No período da pandemia nós fizemos uma campanha e arrecadamos mais de sete mil toneladas de cestas básicas para a comunidade, fizemos uma vaquinha on line, muitos artistas contribuíram e muitas pessoas ajudaram os moradores da Vila”, pontua Pawer Martins.

Afeto pela arte e base artística

A professora de teatro Thalia Santos, 23, vê a live com saudosismo das oficinas e movimentação do Carnaval das Crias do Curro Velho, mas vê também como um espaço de resistência. “As crianças que estão com saudades do Carnaval do Curro Velho, dos pais e responsáveis que estão com saudades do barulho dos instrumentos, dos filhos pedindo para ir para aquele espaço. A live vai trazer alegria, muitas saudades para a comunidade do Telégrafo e do entorno do bairro. Os artistas Muka, Pawer, Marquinho Melodia irão trazer este barulho gostoso da bateria para dentro da nossa casa”, comemora.

Thalia considera que o local das oficinas Curro Velho é uma extensão de casa. “Um espaço onde eu tenho cuidado, onde a gente se sente acolhido, respeitado e tem noções que podemos estar numa carreira artística e as relações do Curro Velho foram construídas por afetos com os funcionários, instrutores, entre as crianças. Eu também construo isso com meus alunos, ele foi minha base artística, ainda estou neste processo de construção pessoal e profissional. Nós continuamos lutando pela manutenção do espaço, pelo processo contínuo de todo esse afeto e responsabilidade que ele tem com a sociedade. O Curro Velho é um espaço de formação, que transforma e coloca muitos artistas nesta cidade”, pontua.

Inêz Medeiros, 33, acadêmica de Pedagogia ressalta a importância da Cultura que veio a partir da instalação do Curro Velho na comunidade da Vila da Barca. “O Curro Velho se introduz muito na cultura da Vila da Barca, muitas crianças e adolescentes passaram pelo Curro Velho, participando das oficinas de arte e neste período do carnaval toda a comunidade se envolvia nos festejos, nos desfiles das Crias. Diante do cenário pandêmico que está vivendo, este momento é importante para não apagar toda a história do Carnaval das Crias do Curro Velho”, finaliza.

Ela conta que participou das oficinas e também do Carnaval. “Hoje eu acompanho meus sobrinhos nas oficinas, no carnaval, o Curro Velho traz uma relação com a comunidade da Vila da Barca muito fervorosa”.

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MÚSICA

MAIS LIDAS EM CULTURA