Bianca Levy usa água como inspiração na exposição 'Elemento TransitóRIO'

Trabalho é fruto do processo de pesquisa desenvolvido pela artista no mestrado, na Galeria Theodoro Braga

Bruna Lima

O envolvimento com o elemento água é o que vem impulsionando a artista e jornalista Bianca Levy em seus processos criativos. Do signo de peixes e filha de Yemanjá, a artista percebe a importância desses arquétipos no momento de suas produções. Nesta sexta-feira, 10, às 19h, ela convida o público para a abertura da exposição  “Elemento TransitóRIO - Caminho de volta para o mar”, na Galeria Theodoro Braga, na Fundação Cultural do Pará.

A exposição é fruto do processo de pesquisa desenvolvido pela artista no Mestrado em Artes da Universidade Federal do Pará (UFPA), contemplado pelo Prêmio Proex de Arte e Cultura da UFPA. O projeto aborda a relação da artista com a água e com os arquétipos relacionados a este elemento, especialmente os presentes na mitologia iorubá.

"Eu sempre tive uma relação muito forte com a água e sempre tive vontade de trabalhar com esse elemento. Iniciei o mestrado por meio de um trabalho que fiz com caderno de artistas, onde fiz poemas, colagens. E durante esses dois anos passei a lidar com outras linguagens", explica Levy.

Ela reforça que é difícil demarcar onde começa e onde termina um processo criativo e suas continuidades, descontinuidades e tangentes. "Mesmo quando se ‘conclui’ ele segue em plena expansão e atualização. Inconscientemente já trabalho esta relação com a água antes mesmo de me reconhecer artista. A exposição vem para marcar o retorno dessa grande jornada, com uma inundação de obras produzidas nos últimos dois anos. É um fechamento desta fase de água, fechamento iniciado com o lançamento do meu livro ‘Aquífera’ em 2018, e que se encerra - pelo menos por hora, com Elemento TransitóRIO”, explica.

A exposição tem curadoria do artista visual e professor Dr. Orlando Maneschy e reúne formatos de vídeo-arte, fotoperformance e instalação. O caráter cíclico da água em suas mudanças de estados naturais e a jornada poética que o conjunto da obra apresenta conduziram também o desenho da curadoria, que propõe um mergulho no universo da água em suas variadas formas e arquétipos.

Além da parceria com Orlando Maneschy, Elemento TransitóRIO é marcado por encontros com artistas que inundaram o processo criativo com seus olhares no registro das performances; ou como Bianca gosta de enfatizar, artistas que performaram com ela por trás das câmeras. São eles: Juan Silva, Charles Vasconcelos, Maryori Cabrita, Marise Maués, André Mardock, Roger Elarrat e Melissa Barbery. “O olhar de cada um deles foi fundamental para a concepção das obras. Eles captaram o chamado da água e mergulharam nesta experiência comigo”, resume a artista.

Agende-se:

“Elemento TransitóRIO- Caminho de Volta para o Mar”
Abertura: sexta-feira dia 10, às 19h, com visitação até 7 de junho
Local: na Galeria Theodoro Braga, no subsolo da Fundação Cultural do Pará
Entrada Gratuita

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA