Mais Liberal

Sob coordenação do Departamento de Marketing do Grupo Liberal, versa sobre os temas relacionados à economia, negócios, tecnologia, comportamento e áreas afins. Publicação aos domingos, terças e quintas. A coluna recebe sugestões pelo e-mail maisliberal@oliberal.com.br.

Saúde mental em tempos de coronavírus, TV Liberal fornece orientações e novidade em Pílulas Digitais

Mais Liberal

Papo Liberal

Liane é psicóloga clínica e experimental com Phd e Mestrado pela UFPA e pós-doutorado pela USP (Arquivo pessoal)

A Mais Liberal bateu um papo a psicóloga Liane Dahás, paraense radicada em São Paulo, sobre como a pandemia do Coronavírus pode afetar a saúde mental da sociedade. Confira!  

O cenário atual pode afetar a saúde emocional das pessoas em decorrência da brusca mudança na rotina, hábitos e isolamento social? 
Sem dúvida alguma. Tenho refletido bastante sobre isso e compartilhado minhas preocupações com colegas e pacientes: ficar isolado por muito tempo sem qualquer medida protetora pode trazer males enormes para todas as faixas etárias. Tenho visto adultos e adolescentes reclamando bastante. Mas quem me parece sofrer mais são crianças e idosos. Os primeiros porque foram abruptamente retirados de seu convívio social com os colegas da escola e por terem menos acesso a atividades de lazer apropriadas pra sua idade quando isolados. E os idosos ainda precisando de maior isolamento por serem grupo de risco. Acabam ficando quase que presos em casa, com algum familiar entregando comida na porta da rua, sem entrar.

A chuva de informações (verdadeiras e falsas) pode causar aflição e pânico? Como lidar com tanto conteúdo sobre a pandemia?  
Sim. E, ao meu ver, já está causando. Minha indicação prioritária é: tente ignorar toda e qualquer informação que não venha de meios oficiais especializados. Não só aqui em São Paulo, cidade que já está de fato tendo que conviver formalmente com o espalhamento do vírus. Na minha amada Mangueirosa, estou vendo padrões muito semelhantes. Tenho amigos e familiares se comportando como se a pandemia fosse uma piada de mal gosto. Por outro lado, os que estocam álcool em gel em casa e se recusam a ter qualquer tipo de convívio social. Se lêssemos com cautela os principais meios de comunicação relevantes (relatórios da OMS e do Ministério da Saúde), entenderíamos que devemos nos esforçar para retardar ao máximo o alastramento (inevitável) do vírus. Quanto mais devagar as pessoas forem contaminadas, menos sofrerão em função da sobrecarga dos sistemas de saúde (tanto público quanto privado). De que adianta comprar todos os álcools em gel da cidade se eu tiro a possibilidade de idosos comprarem? Não tem nenhum recurso ilimitado... nem nas farmácias!

Com maior tempo livre, mesmo que dentro de casa, o que você aconselha fazer para que o período seja enfrentado sem causar danos psicológicos?
Esse é o momento de a gente identificar quais atividades funcionam como medidas para reduzir os estragos não só do isolamento social como também da restrição físico-espacial. Sentimentos de enclausuramento, solidão, ausência de contato com a natureza, desconexão com grupos de amigos... Como isso poderia ser minimizado? Atividades como jardinagem (mesmo em “apertamento”, é possível sim!) podem trazer um pouco de contato com a natureza e reduzir o estresse? Então, faça. “Encontros virtuais” com amigos? Dançar com ajuda de jogos ou mesmo de vídeos do Youtube? Não vai ter fórmula mágica: cada um sabe – ou precisa descobrir – como o estresse afeta seu corpo, qual a melhor forma de deixar a pressão escapulir da sua panela. Em conversa (com quatro metros de distância, que fique claro!) com o ator Roberto Audi, fui fisgada pra algo que não me ocorrera: o importantíssimo papel que as produções culturais podem cumprir nesse momento de reclusão. Há uma enorme quantidade de livros, peças, musicais, contação de história infantil e mesmo obras de arte plástico-visuais disponíveis em acervos on-line cuja gratuidade foi oferecida nesse momento de crise pelas mais diversas instituições. Que tal cuidar da saúde mental lendo mais sobre o que tem no Museu Afro do Ibirapuera ou lendo as obras de Machado de Assis?

O estado de tensão emocional e estresse podem causar a síndrome de burnout? Quais as principais características desse distúrbio?
Eu apostaria que, na população em geral, a síndrome de burnout vai é diminuir, sabia? Porque a principal característica desse distúrbio é o altíssimo estresse em função da carga de trabalho, que leva ao péssimo desempenho do mesmo. A maior parte da população está trabalhando menos e muitos vão sofrer por isso: a diminuição de renda familiar pode levar até ao aumento de casos de depressão e ansiedade. Quem realmente vai sofrer burnout serão os ativamente engajados com a redução da crise geral: profissionais de saúde. Esses precisam se cuidar. Mas, em geral, são os que menos emitem respostas de autocuidado. E até para nós, que precisamos de médicos, enfermeiros, psicólogos hospitalares, farmacêuticos em plena forma, ter um profissional em burnout é uma infelicidade tremenda. Eles faltarão ao trabalho ou estarão lá irritadiços, agressivos, pouco concentrados, incapazes de cumprir sua função. A tensão com a situação geral de saúde do seu local de trabalho (posto de saúde, hospital, PS, centro de diagnóstico) é inevitável. Então, espero grandemente que os hospitais públicos e particulares estejam atentos para que a saúde mental desses profissionais seja posta como prioridade.

Que mensagem você deixa para nossos leitores para enfrentar este momento?
Sigam as medidas pedidas pelos órgãos oficiais. Não tenham vergonha de usar máscara, luva, se isso for recomendado para você. Por outro lado, também não compre discursos aterrorizadores à toa: o vírus vai chegar e vai se alastrar. Já sabemos disso. O que podemos fazer de melhor pra que passemos por essa pequena crise sem grandes estragos, reduzindo o contágio e mantendo a sanidade mental e bem-estar não só nosso, como também de nossos familiares e compatriotas? Eu comprei um pogobol e tô me exercitando em casa... É ridículo? Talvez. Mas mais ridículo é que o mundo não vai acabar, e mesmo assim tem gente estocando em casa produtos que vão estragar por lá e vão faltar nas prateleiras quando os grupos de risco precisarem deles. Vergonha maior não há!

Novidade

Paulo Vieira de Campos (Arquivo pessoal)

A partir deste domingo, Paulo Vieira de Campos passa a se revezar com Francy Rodrigues em nossas Pílulas Digitais. A cada duas semanas, trará informações, dicas e reflexões sobre carreira e desenvolvimento pessoal. Paulo atua na área de Recursos Humanos há 26 anos, com programas corporativos em Liderança, Gestão de Pessoas e Autoconhecimento. É ainda professor em cursos de Pós-graduação e Educação Executiva de instituições como Insper/SP e ESPM/SP e autor do livro ‘A estreia do Líder – Os primeiros passos na trilha da liderança”. Em seu primeiro vídeo aqui na Mais Liberal, ele fala sobre estratégia para aprender. Confira na versão digital!

Unidos pela cultura

Inspirados no Festival ‘Eu Fico em Casa’, criado em Portugal, cantores, intérpretes, compositores, artistas e bandas de todo o Brasil se uniram em uma rede de cuidado e cultura coletivos por meio da internet.

Na próxima semana, de 24 a 27 de março, eles farão mais de 60 apresentações únicas, em formatos inéditos e intimistas.

Será um percurso de 40 horas por vários estados, conhecendo trabalhos de múltiplos estilos e gêneros, que poderão ser conferidos nas redes sociais. Basta procurar via hashtag #FestivalFicoemCasaBR.

Serviço Coronavírus

Além de ser pauta em todos os seus telejornais, na última quinta-feira, 18, a TV Liberal colocou no ar VTs diários, gravados por jornalistas da emissora, com orientações para a população se proteger do coronavírus. O conteúdo, que é supervisionado por profissionais de saúde e selecionado pela área de Programação, integra as ações do Grupo Liberal para manter a população bem-informada e preparada para enfrentar a pandemia.

Conteúdo para enfrentar a crise

Com o impacto econômico provocado pelo novo Coronavírus, especialmente sobre os pequenos negócios, o Sebrae lançou um portal de informações totalmente voltado para orientar os empreendedores. Ao acessar a página, o empresário encontra conteúdo gratuito como orientações, exemplos de outros empreendedores que encontraram soluções inovadoras, dicas de como lidar com a atual situação, além de cursos on-line.

Mais Liberal
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!