Mais Liberal

Sob coordenação do Departamento de Marketing do Grupo Liberal, versa sobre os temas relacionados à economia, negócios, tecnologia, comportamento e áreas afins. Publicação aos domingos, terças e quintas. A coluna recebe sugestões pelo e-mail maisliberal@oliberal.com.br.

Papo Liberal com David Bichara, tendências durante a quarentena e tecnologia contra a covid-19

Mais Liberal

Papo Liberal

David Bichara (Acervo pessoal)

A Mais Liberal conversou com David Bichara, médico e biomédico especialista em saúde pública e patologia clínica e diretor científico do Laboratório Amaral Costa. Ele fala sobre um assunto que ainda gera muitas dúvidas: testes para a Covid-19.

A procura por testes para a Covid-19 é muito alta. Quais os tipos disponíveis no Pará?
Os testes disponíveis no momento são: RT-PCR para Covid-19 (biologia molecular), os testes sorológicos quantitativos que detectam IgA/IgG, IgM/IgG, sorologia somente para IgG (método Elisa ou Quimioluminescência) e os testes rápidos qualitativos (método imunocromatografia) para anticorpos totais e para IgM e IgG.

Qual deles é mais indicado para ser realizado em cada fase da doença?
Até o 7º dia do início dos sintomas, o teste recomendado é o RT-PCR para Covid-19, considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como padrão ouro para o diagnóstico. Após o 10º dia, já podemos realizar os testes sorológicos quantitativos para pesquisa de anticorpos IgA/IgG, IgM/IgG ou somente para IgG. Este na fase tardia do quadro, buscando avaliar possível proteção final. Tudo depende da avaliação e decisão médicas.

Caso o teste seja realizado em período inadequado, o resultado pode dar falso-negativo?
Sim. Todos os testes disponíveis podem apresentar resultado falso-negativo. O RT-PCR pode apresentar esse resultado em várias situações, tais como má qualidade da amostra, contendo pouco material do paciente; amostra coletada em uma fase muito precoce ou tardia da infecção; manuseio e transporte inadequado para um laboratório de apoio; razões técnicas inerentes ao teste; oscilação da carga viral; e outras. Quanto aos exames sorológicos, uma recente publicação científica realizada na China mostrou que, para pesquisa de anticorpos totais, o melhor dia foi o 12º; para anticorpos IgM, entre 14º e 16º dias; e para IgG, o ideal seria realizar o teste após o 19º dia. Ainda assim, a OMS tem mostrado que ocorre variabilidade nas respostas imunológicas de alguns pacientes: podem ter respostas fraca, moderadas ou ausentes em relação a produção de anticorpos. Portanto, concluem que nenhuma decisão clínica deve ser tomada baseada exclusivamente em testes sorológicos. A resposta imunológica depende da idade, estado nutricional, período clínico da doença, gravidade da infecção e de outros fatores, muitos ainda não identificados. Desse modo, poderemos ter resultado falso-negativo relacionado ao período inadequado da realização do teste.

Por que há tanta dificuldade em conseguir realizar o teste, mesmo que de forma particular?
Como houve uma necessidade mundial de testes, ao mesmo tempo uma retração na produção dos mesmos, a dificuldade foi praticamente para todos. Mais acentuadamente ao continente Sul Americano, visto que só foi atingido após a Ásia, a Europa e os EUA. Assim, o Brasil, e principalmente o Pará, estão vivendo, de modo cruel, a falta de abastecimento neste setor da indústria, com grandes dificuldades para importar os kits necessários, enfrentando também as altas nos preços e a redução dos transportes aéreo e terrestre.

Ao obter resultado positivo para anticorpos (IgG), o indivíduo pode se considerar imune ao novo coronavírus? Há, ainda assim, risco de transmissão para outras pessoas ou dele ser reinfectado pelo vírus?
O risco de transmissão não é aferido pela presença de anticorpos, e sim pelo período de evolução da doença. Em alguns países, o paciente, após 14 dias de sintomas, realiza dois testes de RT-PCR com intervalo de 24 horas. Se ambos forem não detectado (negativo), significa que não ocorre mais o risco de transmissão. O período do desaparecimento da eliminação viral pode variar de dez a 28 dias.  
Resultados reagentes (positivo) para IgG significam que a pessoa foi exposta ao vírus e produziu uma resposta imunológica. Ainda não está claro se estas pessoas estarão protegidas a novas infecções pelo novo coronavírus. Há expectativa que sim, mas o momento para tal afirmação ainda não chegou. Precisa-se de mais evidências. É importante a produção industrial de testes que detectem a presença de anticorpos neutralizantes que são indicadores mais acurados de imunidade. Até o momento, não temos trabalhos científicos consistentes mostrando que ocorreu reinfecção. Aliás, reinfecção tão precocemente após a recuperação clínica é pouco provável. Os autores das publicações que traziam tal possibilidade estão revendo seus métodos.

Que orientação você deixa para a população em relação à realização de testes?
Considerando o cenário da Covid-19 e o que já sabemos sobre a clínica e epidemiologia, bem como as recomendações da OMS, o manejo dos testes de laboratório hoje pode se resumir em dois: RT-PCR para diagnóstico até o 7º dia de sintomas e Sorologia para IgG, preferencialmente quantitativo, após o 19º dia do início dos sintomas (método Elisa ou Quimioluminescência) para documentar possível imunidade. Gostaria de registrar também que a OMS, a Universidade de Yale no Reino Unido e o Real Colégio de Patologistas da Austrália não recomendam testes rápidos para diagnóstico da Covid-19.
Como orientação final, é importante ressaltar que os resultados dos testes devam ser interpretados sempre pelo médico do paciente, o que evitará equívocos. Ajudará a se tomar as melhores decisões possíveis.

Cenários e Tendências

Uma pesquisa realizada pelo Google para apontar o comportamento do consumidor em relação à Covid-19 mostra que houve aumento significativo da dependência de internet para pessoas que ainda não estavam adaptadas à tecnologia. A busca "Como fazer compras on-line", por exemplo, cresceu 198% em março no Brasil em relação ao mês anterior. Como resultado, algumas marcas passaram a ensinar como usar seus canais digitais com vídeos tutoriais especialmente voltados para a terceira idade.

Cenários e Tendências II

O estudo revela ainda que entre os internautas brasileiros que já estudavam e/ou trabalhavam, 65% afirmam continuar desempenhando essas funções de casa e outros 22% dizem estar as executando parcialmente do lar. As atividades são prioritárias para 35% dos internautas, seguida por tarefa doméstica (21%), sem informar (11%), exercício em casa (9%) e atividade com filho (7%).

Reputação corporativa

Pelo sexto ano consecutivo, a Natura ocupa a primeira posição no ranking Monitor Empresarial de Reputação Corporativa – MERCO, realizado há 19 anos e com seis edições no Brasil. Todas lideradas pela companhia. Para elaborar a lista, o monitor realizou mais de quatro mil entrevistas, entre julho e dezembro de 2019, com executivos de grandes empresas, especialistas de diversos setores e consumidores.

Tecnologia contra a Covid-19

Pesquisadores de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) estão desenvolvendo uma máscara de proteção que será capaz de detectar se a pessoa está ou não infectada com o novo coronavírus. Sempre que o indivíduo tossir, espirrar ou respirar, uma luz fluorescente se acenderá.

Tecnologia contra a Covid-19 II

Para os cientistas, o acessório poderá ajudar a sanar o problema da falta de testes, realidade em muitos países, uma vez que será possível colocar a máscara em pacientes e descobrir rapidamente, sem precisar levar os exames a um laboratório, se eles têm ou não a covid-19. As máscaras podem ser também uma alternativa aos termômetros, já que não conseguem identificar pacientes assintomáticos.

Transparência

A Suzano, líder mundial no mercado de papel, disponibilizou, esta semana, o Relatório Anual 2019, com dados do primeiro ano da companhia após a fusão que uniu a Suzano Papel e Celulose e a Fibria Celulose. O documento apresenta estratégias de negócio e de sustentabilidade com os compromissos assumidos até 2030, além de ambições da companhia a médio prazo. A publicação traz ainda linhas de pesquisas e soluções em novas tecnologias. Para conferir, é só acessar suzano.com.br/r2019.

Pílulas Digitais 

Na Mais Liberal Digital, Paulo Campos fala sobre a importância de um líder fazer perguntas.

Mais Liberal
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!