Mais Liberal

Sob coordenação do Departamento de Marketing do Grupo Liberal, versa sobre os temas relacionados à economia, negócios, tecnologia, comportamento e áreas afins. Publicação aos domingos, terças e quintas. A coluna recebe sugestões pelo e-mail maisliberal@oliberal.com.br.

Jornalismo na sociedade, Leonardo da Vinci e Pílulas Digitais

Mais Liberal

PAPO LIBERAL

Em comemoração aos 73 anos de O LIBERAL e a um ano de OLiberal.com, a Mais Liberal conversou com Mário Camarão, doutorando em Comunicação e Informação e mestre em Ciências da Comunicação, sobre o papel do Jornalismo na sociedade e os embates nos dias atuais. Confira!

Mário Camarão (Divulgação)

Qual a relação entre jornalismo, imprensa e democracia?

Não podemos aceitar que o jornalismo sucumba e perca credibilidade em nome do jogo de interesses, da censura e, hoje, mais precisamente, da pós-verdade. É desafiador o papel do jornalista em tempos de crise. Vivemos um momento em que se faz necessário cada vez mais olharmos e atentarmos para o papel da mídia e sua influência direta sobre as decisões e o futuro-presente da democracia.

A forte polarização pela qual passa o Brasil representa um risco para o jornalismo?

Pelo contrário. Temos que ver que o jornalismo é essencial para garantir que o público tenha subsídios para se orientar diante desses embates discursivos de grupos diferentes. A polarização acaba gerando bolhas e o jornalismo precisa quebrar e desconstruir cada vez mais esses espaços do discurso inviezado, manipulado e  parcial.

Como não ser vítima nem propagar fake news?

Acredito que o cuidado e atenção em checar a informação antes de compartilhar é a principal arma contra as notícias falsas. A instantaneidade e a pressa em propagar a informação dão margem para os equívocos. Ou ainda a crença em determinado valor ou ideal de vida podem potencializar tal propagação. É o que chamam de pós-verdade. A crença nos sentimentos.Terreno fértil para fake news.

De que forma o jornalismo pode contribuir para a construção de um país melhor?

O jornalismo possibilita o acesso à informação de maneira precisa e Plural. Ainda que saibamos que o exercício da imparcialidade é necessário, por vezes deparamo-nos com práticas desvirtuantes que contribuem para “desinformar” o leitor. Contribuindo de maneira negativa para práticas e situações que muitas das vezes a informação e o jornalismo conseguem mudar.

Você acha que a tecnologia ajuda a democratizar o jornalismo?

A tecnologia do digital potencializou o acesso e produção de conteúdos. Todos produzem conteúdos informativos, mas poucos fazem jornalismo. Há uma dicotomia muito grande entre produtores de conteúdos e jornalistas. O grande desafio é saber o espaço de cada um. Acredito que o jornalismo acaba tendo papel preponderante diante dessa profusão de conteúdos que, muitas das vezes, não têm qualquer preocupação ética e nem social.

O que esperar do jornalismo nos próximos anos no Brasil e lá fora?

Alguns anunciam a morte do jornalismo. Eu vejo cada vez mais urgente e necessário que façamos nosso papel. O papel de informar e ter o cuidado com a apuração, a checagem dos fatos, as denúncias, o confronto das versões, os vários lados da informação e, principalmente, o papel social. Nosso legado maior. O jornalista tem compromisso a sociedade.

500 ANOS DE UM GÊNIO

A Mais Liberal conferiu, em São Paulo, a mostra interativa considerada a investigação mais completa sobre o trabalho de Leonardo da Vinci. Com 18 áreas temáticas, conta a trajetória do grande gênio renascentista e traz réplicas de máquinas desenhadas pelo artista italiano. Os visitantes têm ainda uma experiência multissensorial com animações gráficas em alta definição, combinadas a um conteúdo multimídia e narrativas em áudio. A exposição fica em cartaz até 1º de março de 2020, no MIS Experience, novo espaço do Museu da Imagem e do Som na capital paulista. Acompanhe o passeio virtual com a gente.

PÍLULAS DIGITAIS

Francy Rodrigues (Divulgação)

A partir deste fim de semana, a jornalista Francy Rodrigues traz, aqui na versão digital da coluna, dicas para nossos leitores turbinarem a qualidade do conteúdo e a audiência de seus perfis pessoais e profissionais nas redes sociais. Com uma carreira consolidada no Telejornalismo, inclusive com uma longa passagem pela TV Liberal, Francy optou por respirar novos ares e mergulhou de cabeça no estudo das plataformas digitais, em especial o Instagram. Há um ano, ela passou a fazer parte do projeto ‘#Tá Na Mão!’, que realiza workshops pelo Brasil para ensinar como captar e editar conteúdo no smartphone e como trabalhar a linguagem das redes. Na estreia, Francy fala sobre a nova forma de se relacionar no universo digital.

Dr. Zé Maria Jr. inaugura, em dezembro, uma clínica de odontologia de alta performance. O novo espaço, no Umarizal, contará com todas as especialidades, com destaque para tratamentos estéticos, entre eles lentes em resina e lentes de contato dental. (Divulgação)
Monique Maranhão, diretora do Grupo JC Maranhão, presente há 27 anos no mercado automobilístico, anuncia a reinauguração das concessionárias Peugeot e Citroën, ainda este mês, em Belém, no Umarizal. O coquetel de inauguração será no dia 28 e contará com a presença do staff do Grupo PSA, fabricante das marcas. (Divulgação)
Mais Liberal
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM COLUNAS E BLOGS