Mais Liberal

Sob coordenação do Departamento de Marketing do Grupo Liberal, versa sobre os temas relacionados à economia, negócios, tecnologia, comportamento e áreas afins. Publicação aos domingos, terças e quintas. A coluna recebe sugestões pelo e-mail maisliberal@oliberal.com.br.

Fibra, Réveillon em Salinas e sustentabilidade

Mais Liberal

Papo Liberal

A Mais Liberal conversou com Irene Noronha, diretora acadêmica da Faculdade Integrada Brasil Amazônia (Fibra), sobre acesso ao Ensino Superior e metas da instituição para este ano. Confira! 

Irene Noronha (Divulgação)

Como a senhora avalia o acesso ao Ensino Superior no Pará?

O aumento de ingressantes no Ensino Superior, no Brasil, tem sido relatado pelo Censo de forma positiva. Têm-se atribuída a responsabilidade, em grande parte, para o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES). Segundo os dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), os contratos do FIES aumentaram de 76.155, em 2010, para 109.524, em 2017.

Para a Fibra, o futuro tem sido promissor. Mantivemos nossos investimentos na infraestrutura e o foco na qualidade, conquistando excelentes resultados da avaliação in loco do Ministério da Educação. As oscilações de ingressantes são sentidas sim, mas não chegam a abalar nossa Instituição. Os estudantes já perceberam que suas escolhas precisam ser feitas com base na credibilidade daqueles que se dedicam à educação de qualidade. Compreenderam que o acesso ao Ensino Superior trata da formação profissional e, não, meramente, de diploma.

Infelizmente, os resultados da Região Norte ainda ficam aquém dos nacionais, em relação ao acesso ao Ensino Superior. Embora crescente nos últimos dez anos, a região é marcada pela desigualdade social, sendo a pior na classificação do ranking dos alunos matriculados em um curso de Ensino Superior.

Como aliar necessidades educacionais e comerciais e promover uma educação de qualidade?

Aliar as necessidades educacionais atendendo às Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação à saúde financeira da Mantenedora sem perder o foco na qualidade é um grande desafio. O caminho é o planejamento orçamentário e a reunião de grandes profissionais. Portanto, não tem segredo: é trabalhar com seriedade incansavelmente!

A Fibra, nestes 16 anos de funcionamento, tem mostrado à sociedade paraense a sua dedicação em formar cidadãos tecnicamente competentes, capazes de promover o desenvolvimento da nossa Região e do nosso País. Isso, sem dúvida, nos orgulha!

Quais as principais metas da Fibra para 2020?

Nossa principal meta para este ano é manter o corpo docente altamente qualificado e apaixonado pela educação. São esses professores competentes e dedicados que humanizam nossa educação e que tornam possível a formação de qualidade que oferecemos aos nossos alunos. E são esses alunos que, depois de formados, dispensarão o mesmo amor a suas profissões tratando o outro com respeito e observando suas individualidades. Educar é isso, é respeitar! É compreender que nenhum de nós é um número, que somos um rosto, um sonho. E que a educação é capaz de transformar as pessoas.

Nossa infraestrutura, em permanente atenção (atualmente com mais de 40 espaços, divididos entre clínicas e laboratórios muito bem-equipados) também será ponto do nosso trabalho ao longo de 2020. A ampliação das clínicas de odontologia, com igual qualidade das que já temos, e a modernização do laboratório de alimentos são projetos para o ano que se inicia.

Pílulas Digitais

Na Mais Liberal digital deste domingo (5), Francy Rodrigues fala sobre autossabotagem e dá dicas para você engajar mais em seus perfis nas redes sociais. Aperte o play e confira as dicas.

No Capricho

(Divulgação)
(Divulgação)

No Réveillon, a Mais Liberal esteve em Salinas e ficou bem-impressionada com a decoração de Natal da cidade. Os destaques são o farol e o Parque Natural Fonte do Caranã, que ganhou milhares de microlâmpadas em imagens que simbolizam árvores natalinas, o Presépio da Sagrada Família, os Reis Magos e a estrela de Belém.

Será?

Rumores indicam que a Apple se prepara para lançar seis novos smartphones em 2020. Segundo o Digitimes, a empresa terá quatro versões do iPhone 12. Todas com tela OLED e suporte a redes 5G. Também deve colocar no mercado mais dois modelos com visor LCD, que seriam os sucessores do iPhone SE e lançados com o nome de iPhone 9

Green is the new black

É o nome do estudo da Nielsen Brasil sobre o segmento de beleza e que revela: ser sustentável se torna cada vez mais um fator de decisão no momento de compra. Para 32% da população, o tema está na lista das três principais preocupações. Os lares que declaram ter hábitos e atitudes sustentáveis já somam mais de 7 milhões no País e concentram 18,2% do faturamento do segmento

Mais Liberal
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!