Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Remo ou Paysandu: quem venceu mais jogos fora do Pará?

Carlos Ferreira

Leão 69, Papão 62 vitórias fora do Pará

O Paysandu está no seu 47º campeonato brasileiro (Séries A, B e C) e tem 62 vitórias conquistadas em 462 jogos fora do Pará. O Remo está no 44º campeonato brasileiro (Séries A, B, C e D) e tem 69 vitórias em 338 jogos fora do estado.  O que há de mais relevante nesses números é que a frequência de vitórias lá fora vem crescendo. Na atual Série C já estão contabilizadas uma vitória do Papão em Erechim (1 x 0 no Ypiranga) e uma do Leão em Lucas do Rio Verde (1 x 0 no Luverdense).

Diferente do que bicolores e azulinos vivenciaram até a primeira década dos anos 2000, nesta década nossos principais times vêm crescendo como visitantes. O Paysandu precisa muito confirmar essa tendência nos seus dois próximos jogos, em Volta Redonda/RJ e em Varginha/MG, para compensar a derrota que sofreu em casa para o Juventude.

 

Perspectiva de liderança

Tanto o Leão como o Papão têm perspectiva de virar líder na próxima rodada. O Remo precisa ser favorecido por vitória ou empate do Paysandu e vencer o Ypiranga em Belém. Ou golear o Ypiranga para superar o Volta Redonda no saldo de gols. O Papão teria que vencer o Volta Redonda no domingo e torcer para o Leão não ganhar do Ypiranga na segunda-feira.

As três rodadas já cumpridas representam apenas 17% da primeira fase da Série C. Assim mesmo, é animador poder mostrar a dupla Re-Pa em concorrência pela ponta de cima de tabela. Os dois times muito bem no serviço defensivo. Leão: 0,5 e o Papão 0,6 gol tomado na temporada. Na produção ofensiva o Leão tem média (por jogo) de 1,2 e o Papão de 1,4 gol marcado.

 

BAIXINHAS

* Nos seus 18 jogos oficiais em 2019, o Remo tomou apenas 9 gols e marcou 21.  O Paysandu tem 16 jogos, também tomou 9 e fez 23 gols. A artilharia do Papão é melhor no todo, mas passou em branco diante do Juventude. O Leão fez um gol a cada jogo da temporada e o sistema defensivo resolveu, com direito aos “milagres” de Vinícius.

 * Quando trouxe Vinícius para o Leão Azul, em 2017, Josué Teixeira trouxe junto o preparador de goleiro Juninho Macaé, que também está na sua terceira temporada no Baenão. Juninho só foi notícia quando agrediu o árbitro em Recife, na derrota do Remo para o Santa Cruz, ano passado. É justo que ele seja mais lembrado pelo sucesso de Vinícius, no que tem seus méritos.  

 * É verdade que Leão e Papão estão entrando numa frequência de vitórias fora do Pará. Mas a melhor sequência como visitante foi fora do Brasil, com o Paysandu na Copa Libertadores de 2003, com três vitórias e um empate. Venceu o Sporting Cristal no Peru (2 x 0), o Cerro Porteño no Paraguai (6 x 2) e o Boca Juniors na Argentina (1 x 0). O empate foi com o Universidad Católica, no Chile (1 x 1).

 * Pela gravidade dos fatos relatados na súmula do jogo Paysandu x Juventude, certamente o Papão será denunciado pela procuradoria e ir a julgamento no STJD. No entanto, pela identificação dos infratores, o clube tem grande possibilidade de escapar de punição. 

* A acusação de agressão de um jogador do Juventude, por um torcedor bicolor, na passagem para o vestiário, não tem prova alguma. Mas tudo vale como alerta ao Papão para medidas preventivas efetivas.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!