Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Remo e Paysandu têm uma missão para cada João

Carlos Ferreira

Leão e Papão, uma missão para cada João

João Nasser Neto tem no Remo o dobro do tempo de trabalho de João Brigatti no Paysandu, neste início de temporada. A missão é a mesma, mas em condições diferentes, até porque o Papão faz reforma mais profunda no time.

Brigatti optou por insistir numa formação, para acelerar o entrosamento. Mas a impossibilidade de ter Thiago Primão provocou adaptações e atrapalhou o processo voltado para a estreia, quarta, contra o São Francisco. João Neto teve tempo para experimentar diversas alternativas e ser mais justo com os atletas nas oportunidades. Hoje, no amistoso em Santa Izabel ele fecha o "laboratório" e define o time a ser trabalhado na próxima semana para a estreia, sábado, contra o São Raimundo. 

 

Parazão: em 106 edições, só seis campeões

Paysandu 47 titulos (e 37 vices), Remo 45 (33 vices), Tuna 10, União Esportiva 02, Independente 01, Cametá 01. Em 106 edições, o Campeonato Paraense teve 72 clubes e apenas seis campeões. Leão e Papão são os mais presentes, com 102 participações, cada.

O interior tem dois títulos (Independente e Cametá), mas foi vice com Águia, Castanhal, Sâo Francisco, Paragominas, São Raimundo, Independente. Outro vice é o Ananindeua, da região metropolitana. O Izabelense fez um jogo de decisão na década de 80, mas era um triangular e o Frangão ficou no terceiro lugar.

 

BAIXINHAS 

* Futebol só no interior neste fim de semana, com a abertura do campeonato estadual e o amistoso do Remo, hoje, em Santa Izabel. Também hoje São Raimundo x Águia em Santarém. Observador do Remo no estádio, estudando o time do São Raimundo. Afinal, sábado tem Pantera x Leão Azul. 

* Remo segue a linha do Paysandu na numeração fixa, mas evita a camisa 33. No Papão segue "aposentada" a camisa 7. A numeração solta surgiu nos grandes clubes para mensurar nos atletas o apelo na venda de camisa. O Papão aderiu por simples modismo e o Leão resolver embarcar. 

* Rafael Paty, artilheiro do Parazão 2015 pelo Remo, e Jeferson Monte Alegre, artilheiro em 2016 pelo São Raimundo, agora formam a dupla de ataque do São Francisco. Dedeco, artilheiro em 2018 pelo Castanhal, já fez gol decisivo pelo Remo na Série C e segue vestindo azul marinho. 

* Para este campeonato, são candidatissimos à artilharia os bicolores Paulo Rangel e João Leonardo, os azulinos David Batista, Mário Sérgio, Emerson Carioca, além de Ajuda (Castanhal), Arian Taperaçu (Bragantino), Paty e Jeferson (São Raimundo), entre outros menos cotados. Pelo menos, são tidos como "homens gol" nos seus times. 

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!