Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Papão: necessidade imperiosa de vencer o Imperatriz

Carlos Ferreira

Antepenúltimo colocado no seu grupo, acima do Imperatriz, que tem dois jogos a menos, e do Treze, que tem um jogo a menos, o Paysandu sente o flagrante desconforto com três derrotas, um empate e uma vitória, quatro pontos, apenas 27% de aproveitamento. Por isso, ganhar do Imperatriz, amanhã, tornou-se necessidade imperiosa, inclusive porque os jogos seguintes serão fora de casa, em Fortaleza e João Pessoa, contra Ferroviário e Botafogo.

Impactado pela derrota para o Jacuipense, o Papão está pressionado pelos números e pelas cobranças naturais a reagir no campeonato. Qualquer resultado amanhã, que não seja vitória, eleva o desconforto a crise. Isso já cria um clima de tensão. Vindo de 11 jogos em 39 dias, o time bicolor vai ter que superar o desgaste e se impor diante do Cavalado de Aço maranhense. 

Leão: futebol irritante e um pontinho a mais

Sem força ofensiva, com erros excessivos de passe e setores mal conectados, o Remo foi irritante. Graças à fragilidade do Treze, faturou um pontinho em Campina Grande (2 x 2), quando chegou a sofrer virada no placar mesmo com um homem a mais. O Remo se mantém na terceira posição, agora com nove pontos, mas ainda é um time inconfidência.

Domingo, em Recife, o Leão de Mazola Júnior terá prova de fogo enfrentando o vice-líder Santa Cruz. Depois, quatro jogos seguidos em Belém, contra Botafogo da Paraíba, Manaus, Paysandu e Jacuipense.

BAIXINHAS

* Adversários estão isolando Nicolas em campo. O atacante bicolor vem tendo cada vez menos contato com a bola e não faz gol há quatro jogos. Desde que passou a ser o homem gol do Papão, esse é o maior jejum dele.  Ano passado, quando ainda não era o protagonista da equipe, Nicolas chegou a 11 jogos sem marcar.

* O Imperatriz tem a pior produção ofensiva do grupo, com apenas um gol em três jogos. Melhorar o ataque é um dos desafios mais urgentes do técnico estreante Estevan Soares. O ex-remista Guilherme Garré é uma das novas peças do elenco. Nos dois últimos confrontos, pela Série C de 2007, duas vitórias do Imperatriz sobre o Papão, ambas por 1 x 0, lá e cá.

* Se Alex Maranhão realmente acordou e resolveu suar a camisa, como mostrou ao ser acionado contra o Jacuipense, finalmente terá grande utilidade para o Papão. No clube bicolor desde o início da temporada, o meia tem sido um jogador muito abaixo das expectativas.  

* O Remo já precisou parcelar o pagamento da folha de agosto. O Paysandu também conduz em grande dificuldade a vida financeira, nessa pandemia, sem o supor das bilheterias. Clubes de todo o país estão unindo forças em pressão pela liberação gradual da volta do público aos estádios.  

* Giovane Gomez, atacante, 25 anos, o primeiro desvinculado pelo Remo no pacote de cinco, veio para o Leão com parte dos direitos econômicos para o clube. Não emplacou em Belém, apesar do sucesso que fazia no interior do Rio Grande do Sul. .

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!