Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

O desafio do Remo e a oportunidade do Paysandu nesta rodada do Parazão

Carlos Ferreira

Dinamizar o time é desafio de Jaques no Leão

Em todos os jogos na temporada, desde os amistosos, o Remo mostrou-se lento e previsível na articulação e nas ofensivas, sempre dependendo de esforço extra para se impor. Foi assim em Sergipe, na preciosa vitória sobre o Frei Paulistano, que deu classificação na Copa do Brasil e devolveu o equilíbrio emocional para o jogo de amanhã, contra o Águia. Dinamizar o time, principalmente o meio de campo, é o grande desafio de Rafael Jaques, que renovou o fôlego no cargo. Uma questão de ajuste tático!

Houve uma aposta alta na entrada de Douglas Packer com sua criatividade, mas o meia está em queda de rendimento. Outras peças importantes vêm oscilando, como Gustavo Ermel e Wesley. Isso é próprio desse período inicial de temporada, mas não justifica o nível das atuações.

 

Papão: ocasião para turbinar ou risco de esfriar?

Em estado de graça, o Paysandu tem no jogo deste domingo a ocasião para turbinar o time e o risco de esfriar, considerando-se a boa fase do Paragominas. Trata-se, portanto, de um jogo para afirmação dos bicolores, no embalo da classificação na Copa do Brasil e da vitória no Re-Pa.

A torcida do Papão tem sido surpreendente, mas desta vez deve mesmo encher a Curuzu e transmitir a sua força. O time ainda não tem a consistência necessária, mas já provou a sua bravura. Agora é hora de confirmar a reação, não só com a imposição física, mas também com a capacidade de envolver o adversário. Para o Paragominas, um empate já valeria a permanência no G4.

 

BAIXINHAS

* Entre os titulares do Paysandu, Perema tem sido o único paraense. Domingo, o zagueiro vai cumprir suspensão por cartões amarelos. Como o lateral Bruno Collaço tem a mesma suspensão, Diego Matos substitui os dois. Vai ser o único paraense entre os titulares contra o Paragominas, no lugar de Collaço.


* Sob cuidados médicos, o goleiro Bruno Colaço, do Águia, xará do lateral bicolor, desfalca o time marabaense amanhã. O maranhense Gustavo, ex-Imperatriz, é que vai jogar contra o Remo. A cinco pontos do G4 e um ponto acima da zona do rebaixamento, o Águia já está pressionado.

* Paragominas desfalcado do meia-atacante Tiago Mandi, que recupera-se de lesão. Meia João Neto recuperou-se de lesão, mas ainda nao está no ponto e vai compor o banco. No mais, Rogerinho Gameleira repete o time e confia muito no sistema defensivo, que tem funcionado bem, na avaliação do comandante.

* Na classificação atual do Parazão, a fase semifinal teria três times do grupo A (Remo, Paragominas e Castanhal) e um do outro grupo B (Paysandu). No rebaixamento estariam dois times do grupo B (Tapajós e Carajás). No entanto, ainda restam seis rodadas na fase classificatória, que termina dia 29 de março. Depois, semifinais e finais.

* Atacante Marquinhos, destaque do Sport Recife contra o Brusque, é paraense de Benevides, fruto da base do Castanhal, de onde saiu para o Corinthians, clube ao qual segue vinculado. Ano passado esteve emprestado à Ponte Preta e agora está cedido ao Sport.

 

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM COLUNAS E BLOGS