Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Coronavírus: pela saúde pública, águia fria na fervura

Carlos Ferreira

O coronavírus tem o Parazão como vítima. A suspensão é água fria na fervura do campeonato. Porém, uma necessidade! Chega na mais alta temperatura das disputas, tanto  contra rebaixamento como por classificação à semifinal. Saúde pública acima de tudo!

A suspensão, inicialmente por 15 dias, terá grandes transtornos para os clubes, principalmente os mais dependentes de bilheteria. Contudo, nada é mais importante agora que cruzada contra o coronavírus, cuja medida preventiva fundamental é evitar aglomerações. Agora, cabe à CBF e Federações criar soluções para os clubes mais afetados, como no caso da duração dos contratos. Seis dos dez clubes do Parazão vincularam os atletas somente até o fim de abril. E se o campeonato avançar..? Todos os campeonatos estaduais tem clubes com esse problema.

 

Para quem a suspensão é pior?

O Paragominas já deu o seu grito. O jogo contra o Paysandu, na Arena Verde, marcado para o próximo sábado, era a esperança de receita para eliminar pendências salariais. Para o Águia, que está embalado, batendo à porta do G4, ideal é enfrentar o Remo logo no domingo. Com suspensão do campeonato, o Leão ganha tempo para se ajustar e se fortalecer.

Outra consequência é o prolongamento da angústia de Tapajós e Itupiranga, os mais ameaçados de fazer companhia ao Carajás no rebaixamento. Ameaça da qual ainda não estão livres o Bragantino e o Independente.

 

BAIXINHAS

* Seja quando for, a 9a rodada do Parazão vai ter Paragominas x Paysandu, Itupiranga x Carajás, Castanhal x Tapajós, Remo x Águia, Bragantino x Independente. A 10a e última rodada da fase terá Itupiranga x Paysandu, Carajás x Paragominas, Tapajós x Remo, Águia x Bragantino, Castanhal x Independente.

* Remo, que só tomou cinco gols, continua com a defesa menos vazada do campeonato. Mas em artilharia, com nove gols, o Leão só supera Carajás (cinco), Itupiranga (seis) e Bragantino (seis). Paysandu e Castanhal, com 17 gols, cada, têm as maiores artilharias deste Parazão. No entanto, o Papão tem saldo de 11 gols e o Japiim apenas quatro.

* Tal como na abertura do campeonato, na Arena Verde, torcidas organizadas do Águia e do Paragominas voltaram a dar exemplo de civilidade em Marabá. Torcedores adversários se confraternizaram e se juntaram na exemplar operação de limpeza do estádio. Merecem todos os aplausos!

* Chuvas em volume acima do normal e o assombroso corona vírus fazem deste Parazão um campeonato singular em matéria de atropelos. Nada disso é pior, porém, do que os transtornos já provocados pelos próprios clubes, até o começo deste século, em confusões por conta de regulamentos mal feitos.

* A suspensão das competições da CBF deixou sem data o jogo que o Bragantino faria amanhã, no Diogão, contra o Tupy/MG pela Copa do Brasil sub 20. O Braga está na competição como campeão paraense da categoria.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM COLUNAS E BLOGS