Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Prefeitura de Recife acionou plano de contingência dois dias depois de alerta de ‘risco alto’

Estado de Pernambuco já toma 87 mortes causas pelo deslizamento

O Liberal

A prefeitura da capital pernambucana acionou o plano de contingência na sexta-feira (27), apenas dois dias depois da emissão de um boletim geo-hidrológico em que há o alerta para o "risco alto" de chuvas intensas e de deslizamentos na região metropolitana do Recife. O documento foi emitido Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), órgão federal ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, na quarta-feira (25). Na sexta-feira (27), a Apac (Agência Pernambucana de Águas e Clima) divulgou um outro comunicado informando a previsão de chuva intensa para o final de semana. Fo a partir daí que a gestão municipal acionou o plano de contingência, planejamento previsto em lei federal de 2012, determinando que os municípios tenham definidas ações de proteção e defesa civil. As informações são do Portal UOL.

VEJA MAIS

Saiba o que os pré-candidatos à Presidência falaram sobre a tragédia em Pernambuco
Estado já contabiliza 87 mortes após as chuvas que caíram no último final de semana

Chega a 91 o número de mortes causadas pelas chuvas em Pernambuco
Ainda há vítimas entre os escombros. Número de pessoas desaparecidas não foi atualizado pelo governo

O plano de contingência é elaborado a partir de uma hipótese de desastre, estabelecendo procedimentos, ações e decisões em caso de eventos extremos, com preparação e resposta ao ocorrido. Questionada sobre a demora para acionar o plano, a partir do alerta do Cemaden, a Prefeitura do Recife confirmou ter usado como referência os alertas da Apac.

Até a manhã desta segunda-feira (30), 87 mortes já haviam sido confirmadas em todo o Estado, provocadas por causa da chuva. No boletim de quarta-feira passada do Cemaden, há dois tipos de alertas: um sobre o risco hidrológico, onde o Centro informa que "considera-se ALTA a possibilidade de ocorrência de alagamentos e inundações urbanas nas mesorregiões da Mata Pernambucana, Metropolitana de Recife, Leste Alagoano devido aos acumulados de chuva em 48 horas e à previsão de chuva com intensidade moderada", e outro sobre impacto geológico, que chama a atenção para o risco alto com a "possibilidade de ocorrência de movimentos de massa [deslizamentos] na Região Metropolitana de Recife e no Leste Alagoano, devido aos elevados acumulados nas últimas 72 horas (superiores a 250 mm) e à previsão de pancadas ao longo do dia, com intensidade moderada, que poderão ser suficientes para deflagrar deslizamentos de terra esparsos induzidos".

De acordo com a Prefeitura de Recife, a Defesa Civil da cidade agiu imediatamente após a Apac emitir o alerta, no final da manhã de sexta, com a convocação de mais de 3 mil servidores municipais para atuarem em regime de plantão desde a sexta-feira (27).

"[Houve ainda] o envio de alerta, via SMS, para mais de 32 mil famílias que moram em áreas de risco; o reforço da orientação às pessoas que moram em áreas de risco para ficarem atentas às chuvas e procurem locais seguros para se abrigarem; e a disponibilização de vagas nos abrigos Irmã Dulce e Emergencial para acolher os moradores que desejassem se proteger", finaliza a nota

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL