Por que mulheres trabalham mais do que os homens? Ciência explica

Os cientistas entrevistaram mais de 500 pessoas e os resultados foram divulgados na revista científica Current Biology

Luciana Carvalho
fonte

Um estudo antropológico foi realizado em comunidades rurais da China para descobrir quais fatores realmente determinam quem trabalha mais duro em uma casa: homens ou mulheres. Os resultados foram divulgados na revista científica Current Biology e poderá servir de parâmetro para discussões sobre a divisão de gênero de trabalho. As informações são do portal  Terra. 

Para entender por que e em qual gênero essa “carga de trabalho” estava atribuída em uma união heterossexual, a equipe de pesquisadores decidiu testar a hipótese fazendo com que os casais deixassem a cidade natal após o casamento para morar com a família de um dos cônjuges verificando assim, como isso poderia contribuir para um maior nível de carga de trabalho.

Segundo os cientistas, nessas formas de casamentos, o novo ou a nova cônjuge normalmente não é parente e não compartilha uma história com ninguém em sua nova casa. Sem familiares de sangue por perto, eles podem, portanto, estar em desvantagem quando se trata de poder de negociação.

VEJA MAIS

image Mulheres empreendedoras inspiram e empregam outras mulheres em Belém
Karen Castro, Gessica Meireles e Lana Lima contam as vantagens e desafios de serem donas do próprio negócio

image De porta em porta, vendedora de empadas conquista mercado gastronômico em Castanhal
Uma ideia na cabeça aliada a necessidade de ter uma renda para ajudar em casa; assim começou a história de mulheres empreendedoras de Castanhal

image Mais de 1 milhão de lares no Pará são chefiados por mulheres
A cada dez domicílios em território paraense, ao menos quatro têm a mulher responsável pelas finanças da família

 A forma mais comum de casamento em todo o mundo é onde as mulheres são as "dispersoras", deixando sua casa natal, enquanto os homens ficam mais próximos de suas famílias. Isso é conhecido como patrilocalidade.

Resultado da pesquisa

Durante o estudo, os cientistas entrevistaram mais de 500 pessoas sobre seu status de mudança após o casamento e as convidaram a usar um rastreador de atividade para avaliar suas cargas de trabalho. O resultado foi que as mulheres trabalhavam muito mais do que os homens e contribuíam com a maior parte dos frutos para suas famílias

Em termos de comparação, os dados mostraram que mulheres caminhavam em média pouco mais de 12 mil passos por dia, enquanto os homens caminhavam pouco mais de 9 mil. Assim, os homens também trabalhavam muito, mas menos do que as mulheres. Eles passaram mais tempo em atividades de lazer ou sociais, ou apenas passeando e descansando. De acordo com os pesquisadores, isso pode ser explicado, em parte, porque as mulheres são, em média, fisicamente mais fracas do que os homens

Os pesquisadores também descobriram que os indivíduos, sejam eles homens ou mulheres, que se mudam no casamento para viver longe de seus parentes têm cargas de trabalho maiores do que aqueles que ficam com suas famílias.

Segundo os especialistas, apesar de isso estar mudando com uma maior autonomia de mulheres, a igualdade perfeita entre os gêneros na carga de trabalho ocorre apenas nos casos em que os homens mudam de suas casas após o casamento e as mulheres não.

(Luciana Carvalho, estagiária sob supervisão de Heloá Canali, coordenadora de O Liberal.com).

Brasil
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL