Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Homem é dispensado de empresa após contratador descobrir que ele era trans

O rapaz disse em suas redes sociais que irá entrar com as medidas jurídicas contra a firma

O Liberal

O pernambucano Eduardo Príncipe Rocha, um homem trans, estava contente por ser aprovado em um processo seletivo e iniciar o seu primeiro emprego, na última segunda-feira (12).  No entanto, ainda na noite de domingo (11), ele foi informado pelo empregador que não poderia ficar mais com a vaga. O motivo? O patrão já teria completado a “cota de pessoas diferentes''. As informações são do portal BHAZ.

Na mensagem, enviada pelo possível chefe a Eduardo, revela que teria voltado atrás da decisão após descobrir que o rapaz era transexual. “Vamos dar uma última forma nas conversas que tivemos. De minha parte, não segui o roteiro correto das entrevistas e não o identifiquei na primeira hora. 99% do meu quadro é composto por mulheres. Meu objetivo com essa vaga é contratar um monitor, consequentemente do sexo masculino. Minha cota de pessoas diferentes já está atendida e completa com o que demonstro não ter preconceito”, diz.

Em seguida, o empregador reafirma que Rocha não poderia mais preencher a vaga por se destinada apenas “para o sexo masculino”. “Somente vim saber de sua condição muito depois. Nada contra. Mas a vaga é para o sexo masculino. Agradeço sua atenção”, continuou.

Em suas redes sociais, Eduardo compartilhou o ocorrido e contou que até há pouco tempo lutava contra a depressão e a síndrome do pânico e, que antes, a conquista da vaga teria lhe dado esperança por dias melhores. 

“Segurei a onda até que ele fechou comigo na terça-feira, eu falei: ‘Eu vou cortar o meu cabelo, vou ficar bem bonito, arrumado, para poder começar a trabalhar com outra energia’, e estava contando com isso, então eu estava muito seguro e ia dar certo, ia poder pagar o seguro do carro, se fosse o caso, mas também as outras contas que eu tinha, as dívidas, a vida”, disse o rapaz.

“Estou sensibilizado, não é só pensando na minha situação, mas pensando na quantidade, como sempre pensei, de pessoas trans, travestis e LGBTs de forma geral que passam fome porque não têm um lar, um emprego. E trabalho é sobrevivência, gente”, continuou. A postagem do pernambucano viralizou e acumula cerca de 4 mil interações na web. 

Por fim, na última segunda-feira (12), Rocha revelou que irá tomar medidas legais e formalizar a denúncia por meios legais. Ele também agradeceu o carinho que vem recebendo dos internautas.

“Eu estou recebendo mensagem de outras pessoas trans, do país todo”, contou, em publicação nas redes sociais. “Dizendo que já passaram por isso, viveram isso e não souberam o que fazer. Então, se eu estou tendo essa rede de apoio, eu quero de verdade fazer justiça em nome de todas essas pessoas e tentar minimamente evitar que outras pessoas passem por isso”, finalizou.

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL