Homem doa rim ‘idêntico’ ao irmão mais velho em caso raro no interior de São Paulo

Compatibilidade idêntica ocorre em menos de 30% dos casos, segundo os especialistas

O Liberal
fonte

A história dos irmãos Luiz Fernando Sturaro, de 36 anos, e Lucas Sturaro, 31 anos, moradores do município de Sumaré (SP) ganhou repercussão na internet devido a um caso incomum de compatibilidade genética. Luiz Fernando é renal crônico desde a infância e recebeu um rim doado pelo irmão em novembro do ano passado. O órgão transplantado é considerado “idêntico”, o que ocorre apenas em cerca de 25% a 30% dos casos, segundo os especialistas. As informações são do portal G1.

O transplante de rim com esse nível de compatibilidade garante mais vida ao órgão e diminui as chances de complicações. Isso porque se reduz a ingestão de remédios que diminuem as defesas imunológicas contra agressões de agentes externos e contra o rim transplantado. Dessa forma, a probabilidade de rejeição do órgão pelo organismo é muito menor.

VEJA MAIS

image 'Caso raro': brasileiro descobre órgãos do lado errado do corpo
'Situs Inversus', um jovem paulista de 23 anos tinha órgãos invertidos no tórax e abdômen

image Gêmeos de pais diferentes: caso raro é registrado no Brasil
Segundo o médico que acompanhou a gestação, este seria o 20º caso registrado no mundo de superfecundação heteroparental

image Varíola dos macacos: em caso raro, homem contrai a doença em evento ao ar livre
O caso pode ser o primeiro em que uma pessoa é contaminada com a doença em um ambiente aberto

Com um ano e meio, Luiz Fernando precisou retirar um dos rins e, desde então, toma medicamentos. Ao longo dos anos, ele desenvolveu outras doenças, como diabetes, colesterol, anemia e pressão alta; e a cerca de um ano a situação piorou e o paciente precisou se submeter a tratamentos de hemodiálise de três a quatro vezes por semana.

"Eu fui fazendo hemodiálise sem muitas esperanças, porque não é fácil encontrar um doador e eu não queria prejudicar ninguém. Fui passando por isso sozinho. E aí, acho que ele viu meu sofrimento e correu atrás pra saber se poderia me doar o rim, mas eu não sabia de nada", conta Luiz, que não sabia que o irmão Lucas tentava ajuda-lo.

image Retinoblastoma, câncer raro que acomete crianças, requer diagnóstico precoce
Caso a doença seja tratada desde cedo, há grandes índices de cura. Mas, em casos severos, pode haver o risco de o paciente não ser salvo.

image Mulher na Argentina pode ser 2º caso de cura natural do vírus HIV
A mulher teria eliminado o vírus em um fenômeno raro chamado "cura esterelizante"

"Quando soube que podia dar essa esperança para ele, não tive dúvidas. Nunca tive. O meu medo era não ser compatível. Eu estava com o queijo e a faca na mão e esperei cerca de 15 dias para saber se podia cortar o queijo", relata Lucas divulgou um vídeo do transplante bem sucedido no Instagram no dia 7 de dezembro. A publicação ganhou repercussão e já conta com cerca de 1 milhão de visualizações.

"Só quem passa a situação para entender, mas mudou muito a nossa relação", afirma Luiz Fernando, que acrescenta: "Sempre nos demos bem, mas nunca estivemos muito próximos. Depois do transplante, tudo mudou porque tem uma parte dele em mim".

image Em caso raro, bezerro nasce com duas cabeças e sobrevive
'Nunca aconteceu algo assim nessa comunidade. É um fato inédito', disse Pedro Oliveira, dono do animal

image Médicos retiram mais de 40 larvas de cabeça de criança de sete anos
Caso raro aconteceu no litoral de São Paulo

"Foi uma alegria muito grande, em momento algum eu sequer tive dúvidas disso. Oferecer para o meu irmão a possibilidade de viver de verdade, de ter uma relação mais próxima, acabou sendo um presente para nós dois", pontua Lucas.

Com a melhora na saúde, Luiz Fernando Sturaro já faz planos para ajudar outras pessoas atuando como bombeiro solidário. "É uma nova oportunidade, é incrível porque só o transplante reduziu em mais de 30% os meus incômodos. Eu sou outra pessoa. É um sonho, receber mais um pouco de vida, ter mais tempo aqui na terra para viver. Eu vivia inseguro, com medo, sempre tomando remédio. A doença era uma prisão", afirma.

Brasil
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL