Católicos se mobilizam em mais de 6 horas em orações em Belém

Valéria Nascimento

Um público predominantemente feminino e acima dos 40 anos de idade, estimado em cerca de 500 pessoas, segundo a Diretoria da Festa de Nazaré, participou da oração das Mil Ave Marias, em seis horas, praticamente, ininterruptas de rezas no Centro Social de Nazaré, neste sábado, (24).  O momento religioso se iniciou às 8h30 e seria encerrado com uma missa solene na capela do próprio Centro Social, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, prevista para 15h.

 

A quinta edição consecutiva do evento integra o conjunto de iniciativas de evangelização preparatória para o Círio 2019. "Rezamos a Oração do Rosário com os quatro mistérios: gozosos, luminosos, dolorosos e gloriosos. A cada mistério são rezadas 50 Ave Marias com curtos intervalos totalizando 250 por mistério o que compreende as mil Ave Marias até o final'', informou o diretor de Evangelização, da Diretoria da Festa, Jorge Xerfan.

Os participantes, disse ele, foram mobilizados pelas redes sociais, pastorais paroquianas e ainda nas peregrinações da imagem da padroeira dos paraense, Nossa Senhora de Nazaré, que acontece desde o início deste mês em residências de famílias católicas de Belém.

"Tudo que faço e vivo é por Jesus e nada é sem Maria. Para mim, esse momento aqui de concentração de pedir por Maria para que ela interceda por nós é fantástico'', assegurou a servidora pública, da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), Norma Sueli Eleutério Teixeira. Ela contou que trabalha na Pastoral da Acolhida, da Basílica de Nazaré, há mais de 15 anos, antes mesmo da criação da Casa de Plácido. 

A assistente social, Ângela Sousa, só chegou por volta das 10h, à capela do Centro Social, para se unir ao grupo de oração. No entanto, ela estava desde às 7h na Basílica Santuário, onde participou da missa, esperando o início da reza, em questão. É que Ângela foi para o evento pela primeira vez e não sabia que ele seria no Centro Social. 

"Fiquei na missa e quando terminou me informei sobre o início das Ave Marias e aí soube que era aqui. Queria ter iniciado desde a primeira oração com todo mundo, mas o importante é a fé que motiva a gente a cada dia", disse Ângela Sousa. "E mais importante ainda é a gente ter consciência de que precisa melhorar como pessoa'', concluiu a assistente social.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!