Moradores do Jaderlândia sofrem com a falta de ônibus

Apenas 15 ônibus atendem 23 mil pessoas na área.Usuários dizem ficar mais de uma hora esperando os veículos.

Dilson Pimentel

Moradores da Jaderlândia, em Ananindeua, dizem que apenas 15 ônibus urbanos atendem os mais de 23 mil moradores do bairro. E que eles ficam esperando na parada de 50 minutos a uma hora, em média. Isso os prejudica no deslocamento para o trabalho e para uma consulta médica, por exemplo. "Queremos que a empresa Forte atenda a comunidade com mais qualidade e disponibilize mais ônibus pra gente. A gente fica esperando 50 minutos, uma hora pra pegar um ônibus, quando a gente está na Almirante Barroso, no centro da cidade ou no final da linha", disse o atendente de farmácia Ronildo Silva, 28 anos. "Hoje nós somos pra mais de 23 mil habitantes, que engloba Jaderlândia, Nova República, Francisquinho, Atalaia, Terra Santa e outras comunidades. E só tem 15 ônibus para atender todas essas comunidades ", afirmou.

Dona Maria Helena Costa da Silva, 67 anos, contou que vai para a parada de ônibus às 6 da manhã para que possa chegar às 8 na consulta, na avenida Almirante Barroso. E que, ainda assim, chega em cima da hora", correndo". Na pressa, ela disse que atravessa, às pressas, a avenida Almirante Barroso. Dona Maria Helena acrescentou: "Ontem (segunda-feira), eu estava na parada. 11h45. Eu fiz sinal pro Jaderlândia e ele nem aí pra mim, nem um tchan. Quer dizer, estamos pagando o salário deles pra sermos maltratados. Queremos que aumente a frota e diminua esse tempo de espera".

Ronildo acrescentou que os moradores já procuraram o Ministério Público de Ananindeua. "E o MP pediu relatório para Semob (Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém). E, no relatório, foi constatado que há necessidade do aumento da frota de ônibus para atender as comunidades", disse. Isso ocorreu em 2018. "Só que, de lá para cá, não tivemos resposta da empresa Forte, a única que atende a nossa comunidade", afirmou. Segundo ele, a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito de Ananindeua (Semutran) também não faz essa fiscalização, conforme havia sido definido, no ano passado, com o Ministério Público.

A Semob, em nota, que a responsabilidade neste caso é da Prefeitura de Ananindeua. "Esclarecemos que não somos responsáveis pelo transporte metropolitano. Nesse caso, o fluxo que a comunidade precisaria adotar é encaminhar a reclamação para a prefeitura do seu município de origem, que por sua vez encaminharia ofícios para as demais prefeituras analisarem se a solicitação é pertinente ou não. O procedimento é esse com todos os municípios da região metropolitana: Belém, Ananindeua, Marituba, Santa Bárbara."

Procurada, a Prefeitura de Ananindeua ainda não se manifestou.

 

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!