Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Ananindeua tem ventos de 100 km/h, e tempestade pode se repetir na RMB e nordeste do Pará

Redemoinho do vento foi muito forte, quase caracterizando um pequeno tornado

O Liberal

A tempestade, com chuva forte, raios e trovões que caiu sobre parte do Município de Ananindeua, na Grande Belém, no começo da tarde desta quinta-feira (25), contou com ventos a uma velocidade de 100 km/h. A informação é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). E situações desse tipo podem ser verificadas novamente na região metropolitana da capital do Para e no nordeste do Estado, como alerta o meteorologista do 2º Distrito de Inmet, José Raimundo Souza.

José Raimundo informou que a situação verificada em Ananindeua foi a de uma "uma forte ventania ocorreu que aqui, na região de Ananindeua, mais precisamente na área do 40 Horas". "O Inmet não mediu nas duas estações essa velocidade do vento, porém verificando-se a escala (de Fujita) que mede tempestade severas, possivelmente, pelos estragos causados, a velocidade do vento chegou a 100 km/h", destacou.

Essa alta velocidade do vento foi originada pela entrada de umidade do Oceano Atlântico, e,com o forte aquecimento da superfície, formaram-se nuvens cumulo e cumulonimbus em grande parte da região nordeste paraense. "E na Região Metropolitana de Belém, as nuvens estavam bem mais desenvolvidas com topo de até dez quilômetros de altura, o que quer dizer que as correntes de ar ascendente dentro da nuvem formaram granizo e gelo, e, com isso, a rajada de vento muito forte, no encontro dos ventos, gerou redemoinho, quase que caracterizando um pequeno tornado", observou José Raimundo Souza.

Essas tempestades ainda podem ocorrer, porque a formação de nuvens cumulonimbus e as linhas de instabilidade têm sido verificadas em Belém nos últimos três dias. "É fora de época a ocorrência dessas tempestades, porque nós estamos em um mês seco, porém a brisa do oceano favorece a formação de nuvens cumulonimbus, e, com elas, em áreas isoladas ventos dessa natureza podem ainda acontecer em qualquer dia do mês", ressaltou José Raimundo. 

"A previsão do Inmet ainda é de pancada de chuva de curta duração e pode ter essas descargas elétricas, rajadas de vento (como verificado em Ananindeua) em qualquer parte da Região Metropolitana de Belém ou da região nordeste do Pará", arrematou o diretor do 1º Disme.

Chuvas

Neste mês de agosto, segundo monitoramento do Inmet, até o dia 21 Belém registrou 51 milímetros. No entanto, nos últimos três dias, ou seja, na terça-feira (23), na quarta-feira (24) e nesta quinta-feira (25), a incidência de chuva foi de 40 milímetros, isto é, chuvas intensas.  

Palavras-chave

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM