É possível ter alergia à água? Conheça doença rara que leva pessoas a não tomarem banho

Saiba mais sobre a urticária aguagênica e como tratá-la. Doença rara atinge uma em cada 200 milhões de pessoas

Amanda Martins

Atividades cotidianas, como tomar banho ou beber água, são verdadeiras torturas para pessoas que são diagnosticadas como uma doença rara, a urticária aquagênica. A pele desses pacientes costuma ficar recoberta de manchas vermelhas e feridas dolorosas após o simples contato com a água.

VEJA MAIS

image Após picada de carrapato, homem morre com infecção cerebral rara
A doença é transmitida pela picada de carrapatos de veados infectados. O homem desenvolveu sintomas neurológicos e chegou a receber atendimento médico, mas morreu no hospital

image Alergia ao sexo? Entenda a doença rara que pode causar paralisia temporária
Entenda o caso inusitado que aconteceu com uma jovem de 18 anos

image Mulher com doença rara precisou de 531 bolsas de sangue durante pré e pós parto
A alta complexidade dos procedimentos movimentou um alto estoque de sangue, uma equipe multiprofissional e maquinário específico

É o caso da adolescente Abigail Beck, de 15 anos, que mora nos Estados Unidos, e descobriu ser alérgica à água. No mês de abril, ela foi diagnosticada com urticária aquagênica, que afeta apenas uma em cada 200 milhões de pessoas. Mas, as reações adversas à água começaram em 2019. 

Desde então, a moça começou a evitar tomar banhos com frequência - apenas um a cada dois dias -, e passou a tomar anti-histamínicos para combater as reações. Entenda mais sobre a alegia à água:

É possível ter alergia à água?

Sim. A doença rara se chama urticária aquagênica e é caracterizada por uma reação alérgica à água, independentemente da temperatura. 

Quais são os sintomas da doença?

A urticária aquagênica causa vermelhidão na pele, inchaço e coceira intensa. As lesões são pequenas e podem desaparecer após 30 a 60 minutos.

Como tratar alergia à água?

A ciência ainda não conseguiu compreender a causa da “alergia à água”. Por isso, não há um tratamento específico para a doença. Mas, os dermatologistas aconselham o uso de anti-histamínicos para aliviar o desconforto.

(*Estagiária Amanda Martins, sob supervisão da editora Web de OLiberal.com, Ana Carolina Matos)

Saúde
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!