Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Bebê chorando? Saiba quais podem ser os motivos e conheça dicas que podem ajudar

Um choro de bebê pode preocupar os pais que não conseguem entender os motivos; saiba como ajudar e quais causas

Karoline Caldeira

A chegada de um bebê na família pode trazer muitas felicidades, mas também preocupações. Nos primeiros meses de vida, as crianças só conseguem se comunicar por meio do choro e isso pode deixar diversos pais sem entender as razões e como ajudar. As informações do portal UOL.

O médico Ênio Luís Torricillas, pediatra do Hospital Santa Cruz, da Rede D'Or, explica que para compreender a causa do choro, é importante considerar a fase do bebê. Os motivos para as lágrimas variam conforme a idade e as causas também. "O choro do recém-nascido é, basicamente, uma adaptação à vida extrauterina. Temos que pensar que ele passou nove meses dentro da barriga da mãe e, agora, vive por um período de adaptações", afirma o especialista.

VEJA MAIS

Bebê nasce com sinal da cruz na testa após pedido da mãe à bisavó: ‘demonstração de fé’
O caso que aconteceu em Minas Gerais viralizou nas redes sociais

Claudia Raia grávida: entenda as chances da mulher engravidar depois dos 50 anos
Por ser incomum uma gravidez espontânea após os 40 anos, o Oliberal.com explicou quais as chances da mulher gerar um bebê depois dos 50 anos

Bebê com síndrome rara precisa de ajuda para realizar cirurgia
Doações podem ser feitas pelo Pix: amorim.adv04@gmail.com

Quais motivos podem fazer um bebê chorar?

Para a pediatra do Hospital Santa Catarina, Juliana Okamoto, são inúmeras as causas para um recém-nascido chorar. Entre as possibilidades, a especialista listou:

  1. Fome: Se o bebê foi alimentado há mais de 3 ou 4 horas, o choro pode ser de fome;
  2. Xixi ou cocô: Mesmo que tenha apenas urina na fralda, pode ocasionar assaduras e os bebês podem ficar incomodados;
  3. Sono: O choro de bebê pode ser um aviso de cansaço;
  4. Frio ou calor: É importante verificar se o bebê não está agasalhado demais ou suado;
  5. Agitação: O ambiente pode estar com muito barulho ou muitas luzes e causa incômodos;
  6. Colo: bebês precisam de aconchego e podem apenas querer colo, sem nenhum outro motivo.
  7. Cólica: Este problema costuma ocasionar uma distensão do abdômen. "É algo mais comum no fim do dia, que pode começar após três semanas de vida e durar até cerca de três meses", comenta a pediatra;
  8. Sair da rotina: ter um dia fora do habitual pode causar estresse e choro;
  9. Dor pontual: normalmente, quando o bebê sente algo doendo, o choro é agudo, repentino e inconsolável. "Se passou por todas as etapas anteriores e nada foi identificado, é melhor procurar ajuda de um pediatra para investigar", afirma Juliana;
  10. Saúde: Quando o bebê já está doente, o choro tende a ser manhoso e com gemência.

Bebê de 2 anos viraliza após reconhecer que pedaço de papel não era dinheiro
A reação da pequena Lavínia Souza de Cândido surpreendeu a todos da família e provocou várias risadas nos internautas

Qual é a importância do aleitamento materno?
Amamentação ajuda no desenvolvimento do sistema nervoso e aumenta a imunidade do bebê

Bebê gigante: criança de 5 meses chama atenção na internet pelo tamanho; vídeo
A mãe faz postagens diárias sobre o filho e os registros tem viralizado nas redes sociais

Sinais de alerta

Quando o choro ocorre fora da rotina, é necessário avaliar a frequência do episódio, explica o médico Ênio. "Além disso, quando o choro é vigoroso, o bebê esperneia e, depois, se mostra sem forças para chorar ou passa a agir diferente, é hora de consultar o pediatra", fala o especialista.

O pediatra também destaca que as respostas dos adultos aos choros devem corresponder a faixa etária do bebê. "Para o recém-nascido, os pais devem responder imediatamente. Se ele está com frio, tiramos a roupa; se está com fome, deve mamar. Assim, os adultos agem de imediato e, consequentemente, o choro já some", afirma o médico.

A recomendação muda para as crianças a partir de um ano. Quando não há motivos aparentes, podem esperar mais um pouco, pois pode se tratar apenas de bebê pedindo colo. "[...] se ele não recebe o que quer, se acomoda, entende que a mãe não pode naquele momento e vai desaprendendo essa 'chantagem' de chorar para conseguir o que quer", conclui o profissional.

(Estagiária Karoline Caldeira, sob supervisão da editora web de OLiberal.com, Ana Carolina Matos)

Palavras-chave

Saúde
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!