Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Prefeitura de Curionópolis decreta três de luto por falecimento do major Curió

O militar da reserva foi eleito prefeito da cidade do sul do Pará no ano 2000

Daleth Oliveira

A Prefeitura de Curionópolis, no sul do Pará, decretou três de luto por falecimento do ex-prefeito da cidade Sebastião Curió Rodrigues de Moura, o Major Curió, de 87 anos. Ele morreu na madrugada desta quarta-feira (17), em um hospital particular em Brasília.

Curió ajudou a fundar uma cidade no sul paraense, município desmembrado de Marabá. O militar foi eleito prefeito da cidade no ano 2000.

VEJA MAIS

Morre major Curió, que liderou a repressão à Guerrilha do Araguaia
Ex-agente do Centro de Inteligência do Exército (antigo CIE), ele atuou contra movimentos armados de oposição ao regime e é uma figura emblemática da ditadura militar na Amazônia

Segundo o Decreto publicado no Diário Oficial do Município, a gestão considera a "relevância pelos serviços prestados na qualidade de homem público e ex-prefeito do município". Durante o período de luto oficial, a bandeira municipal ficará hasteada a meio mastro em todos os órgãos públicos municipais.

Como agente do Centro de Inteligência do Exército, o antigo CIE, ele atuou contra movimentos armados de oposição ao regime e foi figura emblemática durante a ditadura militar na Amazônia. Por sua atuação, já foi denunciado por crimes como sequestro, assassinato, tortura e ocultação de cadáver. Internado na noite de segunda, Major Curió sofreu sepse e falência múltipla dos órgãos. 

Documento decreta luto oficial na cidade de Curionópolis, no Pará (Divulgação)

Palavras-chave

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA