Medalha Francisco Caldeira Castelo Branco é entregue por Edmilson Rodrigues a homenageados

A comenda é a mais importante outorga oferecida pela Prefeitura de Belém

Abílio Dantas

A diversidade dos saberes presentes em Belém, das erveiras do Mercado do Ver-o-Peso até o conhecimento acadêmico de professores da Universidade Federal do Pará (UFPA), foram representados na noite desta terça-feira (12) na entrega da medalha Francisco Caldeira Castelo Branco, outorgada pelo prefeito Edmilson Rodrigues a 12 homenageados nascidos em Belém ou que escolheram a cidade para morar. A cerimônia foi realizada no Solar da Beira, no Complexo do Ver-o-Peso, e fez parte das comemorações dos 405 anos da capital paraense.

A medalha Francisco Caldeira Castelo Branco, entregue desde o ano de 1978, quando o então prefeito da cidade Ajax Carvalho D’Oliveira instituiu o Decreto nº 14.535/78, é a mais importante comenda oferecida pela Prefeitura de Belém e, geralmente, é entregue no aniversário de Belém, no dia 12 janeiro. A condecoração do mais alto grau do município homenageias pessoas físicas ou jurídicas destacadas em seus campos profissionais, com contribuições culturais, sociais e científicas à capital paraense.

Neste ano, estiveram presentes e receberam a outorga: Dona Clotilde Melo de Sousa, a erveira conhecida como Dona Coló; Edilza Joana Oliveira Fontes, historiadora, escritora e professora da UFPA; Edgar Augusto Camarão Proença, jornalista idealizador e produtor do programa de rádio Feira do Som, que completará 50 anos no ar, em 2022; Emmanuel Zagury Tourinho, reitor da UFPA; Joelma Kláudia, cantora, compositora e produtora cultural; José de Andrade Raiol, arquiteto e professor com trabalho prestado na Organização das Nações Unidas (ONU); Luiz Arnaldo Dias Campos, cineasta; Maricila do Socorro Brito Gomes, assistente social e ministra da Igreja Messiânica Mundial do Brasil; Marco Aurélio Arbage Lobo, arquiteto e doutor em Desenvolvimento Socioambiental, e Raimundo Alberto de Figueiredo Damasceno, arquiteto, doutor em Educação e professor da UFPA. Também foram homenageados, em memória, o advogado Egídio Machado Sales Filho e a cantora Maria Cleide Sousa Morais, conhecida como Cleide Moraes, falecidos no ano passado.

O prefeito Edmilson Rodrigues fez um discurso destacando a importância de cada um dos homenageados, com ênfase na afetividade trazida pelo momento. “Eu chorei muito na morte do meu avô, pois sou uma pessoa que se emociona muito. Assim como chorei muito com a morte do meu amigo Egídio Sales”, disse o gestor ao se direcionar a Lucas Sales, advogado, que representava o pai Egídio na cerimônia.

Ao falar do reitor Emmanuel Tourinho, que representava o trabalho de ensino, pesquisa e extensão universitária promovido pela Universidade Federal do Pará, o prefeito também lembrou do pai do homenageado, o dramaturgo e escritor Nazareno Tourinho. “Ele tinha o sonho de construir um teatro popular em Belém. Eu não posso afirmar que vamos fazer, porque é algo que ainda precisa ser estudado, mas pretendemos fazer, aqui no Solar da Beira, o Teatro Municipal Nazareno Tourinho”, declarou Edmilson.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA