Gordo do Aurá estava sem partido na Câmara de Vereadores de Ananindeua

Ele foi expulso do DEM após ser preso, em setembro do ano passado

Redação Integrada

O vereador de Ananindeua Deivite Wener Araújo Galvão, conhecido como Gordo do Aurá, 37 anos, estava sem partido depois de ser expulso do Democratas após ser preso em setembro do ano passado.

LEIA MAIS:

O colegiado do DEM decidiu que ele não faria mais parte da legenda diante das acusações de que ele liderava uma facção criminosa na Região Metroppolitana de Balém. Na Câmara Municipal de Ananindeua (CMA), ele seguia o seu mandato sem vínculo partidário.

Deivite foi reeleito em 2016 com 2.427 votos no segundo maior colégio eleitoral do Pará, que é a cidade de Ananindeua.

Gordo do Aurá foi preso durante a operação Cristo Redentor, em uma residência em Ananindeua. Foram encontrados com ele, aparelhos celulares, máquinas fotográficas e mídias. A operação foi desencadeada no residencial Pouso das Aracangas, conhecido como “Cidade de Deus”, no bairro do Aurá. Além dele, mais 15 pessoas foram presas.

O residencial foi invadido e estava sob o domínio de uma facção criminosa que, segundo testemunhas, era liderada por Gordo do Aurá. Na época, os lideres do grupo estavam impedindo a entrada de policiais na área, coagindo e extorquindo moradores, e cometendo até ataques às guarnições da Polícia Militar.

A reportagem está tentando contato com a Câmara de Ananindeua.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!