Dino afirma que vai determinar máximo empenho da PF no caso de Dom e Bruno

O jornalista e o indigenista foram assassinados após terem flagrado a prática de atividades ilegais na região do Vale do Javari, no Amazonas

O Liberal
fonte

Novo ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Lula, Flávio Dino afirmou, nesta quarta-feira (4), que vai determinar que a Polícia Federal (PF) faça "o máximo possível e cabível" para esclarecer o assassinato do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Philips, na região do Vale do Javari, no Amazonas. As informações são da CNN.

Dom e Bruno estavam em uma expedição no Vale do Javari, região com forte presença do garimpo ilegal e tráfico de drogas, quando foram torturados e assassinados após terem flagrado a prática de atividades ilegais na região, de acordo com indícios da investigação sobre o caso. Os autores do assassinato estão respondendo pelos crimes na Justiça, mas ainda não está claro quem são os mandantes da morte ou os motivos exatos que levaram ao crime.

Em suas redes sociais, o líder indígena da região e membro da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) Beto Marubo cobrou que a resolução deste caso tivesse o mesmo "empenho e prioridade" que o assassinato da vereadora Marielle Franco. Na última segunda-feira (2), durante discurso ao assumir o cargo como ministro, Dino havia dito que a PF atuaria para desvendar o assassinato de Franco no Rio de Janeiro em 2018.

"Este é um caso que precisa ser esclarecido também. Ao Brasil e ao mundo", disse no tweet do líder indígena. Confira:

Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA