Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Deputado Federal é condenado por divulgar fake news

Beto Rosado (PP-RN) compartilhou em 2018, em grupo de WhatsApp, fake news envolvendo Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Adélio Bispo.

O Liberal

O deputado federal Beto Rosado (PP-RN) foi condenado pelo 3º Juizado Especial Cível de Brasília, nesta quinta-feira (25), a se retratar e pagar R$ 1,5 mil para Gleisi Hoffmann (PT-PR) por compartilhar fake news envolvendo Gleisi e Adélio Bispo, homem que esfaqueou Jair Bolsonaro (sem partido) em 2018. As informações são do portal Metrópoles.

Gleisi Hoffmann alegou à Justiça que Beto Rosado causou lesão à sua honra ao enviar imagem, em um grupo de WhatsApp, contendo insinuações de suposta amizade dela com Adélio Bispo.

O juiz André Gomes Alves entendeu que o deputado “agiu com imprudência ao replicar informação inverídica, pois dispunha de meios para averiguar a veracidade do fato antes de divulgá-lo em um ambiente coletivo de comunicação eletrônica”.

“Nesse sentido, ao divulgar de forma plúrima a mensagem ofensiva sem checar previamente a veracidade o acusado empreendeu comportamento descuidado com a honradez alheia, causando danos à honra objetiva da autora que devem ser reparados na medida em que a negligência do requerido ofende o comportamento ético esperado de si dentro da moldura axiológica da boa-fé objetiva”, escreveu o magistrado.

O juiz julgou parcialmente procedentes os pedidos da petista para condenar o deputado a não mais propagar a fake news em qualquer meio de divulgação; pagar indenização de R$ 1,5 mil; e divulgar, no mesmo grupo em que compartilhou a imagem, retratação reconhecendo a falsidade da notícia.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA