PF cumpre mandados judiciais em operação que investiga crimes financeiros do prefeito de Altamira

Dano aos cofres públicos seria de mais de R$ 10 milhões

Redação integrada

A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta quarta-feira (24), sete mandados de busca e apreensão em residências, em uma empresa ligada ao ramo de pavimentação e na sede da prefeitura de Altamira, sudeste paraense. A investigação se estende às negociações travadas pelo prefeito Domingo Juvenil (MDB).

A ação faz parte da Operação Prenúncio, do Ministério Público do Pará (MPPA), que apura crimes financeiros cometidos por empresários e agentes públicos do município. A estimativa é que o dano aos cofres públicos seja de mais de R$ 10 milhões.

As investigações começaram em 2018 e apuram improbidade administrativa e fraude em licitações, com indícios de superfaturamento e direcionamento das licitações de obras para uma única empresa.

De acordo com a Polícia Federal, desde 2014, os editais para obras eram direcionados a uma única empresa que vencia os certames sem que houvesse uma concorrência real.

OUTRO LADO

Em nota, a Prefeitura de Altamira declarou:

"A Prefeitura municipal de Altamira e o Gestor do município informam que estão colaborando com a equipe da Polícia Federal na operação ocorrida na manhã desta quarta-feira (25). As investigações teriam como alvo processos licitatórios que ocorreram cumprindo todos os procedimentos exigidos por Lei e com transparência. 

A administração pública municipal ressalta que nos últimos três anos consecutivos foi reconhecida pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) com o Selo  ‘Gestão transparente’.
 
Sobre a operação de hoje, a prefeitura continuará colaborando e acompanhando as investigações para que tudo seja esclarecido o mais breve possível."

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA