Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

PF investiga fraudes em contas bancárias no Pará; mais 13 estados estão envolvidos no crime

Além do estado paraense, outras 13 unidades federativas estão sendo analisadas nesta terça-feira (2), pelo crime

O Liberal

A Polícia Federal (PF) investiga nesta terça-feira (2) fraudes em contas eletrônicas mantidas por instituições bancárias do Pará. O valor do roubo totaliza R$ 18,2 milhões. Além do estado paraense, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo também estão sendo apurados de cometerem o crime.

Estão sendo cumpridos 43 mandados de busca e apreensão nos locais que são alvos da Operação Não Seja um Laranja. Inicialmente, a PF detectou um aumentou considerável da participação de pessoas físicas em esquemas criminosos. Eles “emprestam” suas contas bancárias, por meio de um pagamento. E assim conseguiam a cessão das contas para receber transações fraudulentas. 

VEJA MAIS

Funcionários públicos com cargos secretos sacaram R$ 226 milhões em dinheiro
Em oito datas, entre janeiro e junho, foram sacados pelo menos R$ 300 mil em espécie em cada uma delas

A polícia as pessoas que emprestar contas bancárias para receber créditos fraudulentos é crime. Os investigados podem responder pelos crimes associação criminosa, furto qualificado mediante fraude, uso de documento falso e falsidade ideológica. A pena pode somar mais de 20 anos de prisão. 

Até 10h não foi divulgado se alguma pessoa no Pará foi presa durante o andamento da operação. 

 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA