Investigado por chefiar grupo de extermínio é suspeito de ter atropelado PM que morreu em Ananindeua

"Marcelo da Sucata" ainda não se apresentou à polícia

Redação Integrada

O homem suspeito de ter atropelado e matado o policial militar Idemar Alves Dias Neto, de 35 anos, em uma colisão na avenida Governador Hélio Gueiros na última quarta-feira (29) foi identificado como Marcelo Pantoja Rabelo. O homem, conhecido como "Marcelo da Sucata", também é investigado por liderar um grupo de extermínio no Pará, tendo sido preso no ano passado em Fortaleza, capital do Ceará, e estava nas ruas por responder ao processo em liberdade.

Marcelo é investigado por ser o chefe de um grupo de extermínio, que vitimou seis pessoas, no ano de 2016 no Pará, além do envolvimento em uma dupla tentativa de homicídio, em 2018. De acordo com informações da Polícia Civil do Ceará (PCCE), ele foi preso em maio de 2019 em um carro de luxo durante uma ação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), quando estava na condição de foragido da Justiça do Pará. 

Além do mandado de prisão preventiva, o suspeito também foi autuado em flagrante por uso de documento falso e posse de substância anabolizante. Com ele, foi encontrado um RG com a sua foto, mas com nome de terceiros. Ao ser questionado, ele informou que o documento era falso, e que utilizava de tal identificação em razão de se encontrar foragido.

Após ser abordado em um carro blindado, a Polícia seguiu com ele em diligência até o imóvel de Marcelo, em um condomínio de luxo no bairro Cocó (AIS 10), avaliado em quase R$ 2 milhões. Lá, a delegacia especializada apreendeu ampolas de anabolizantes, vários celulares, sendo um do tipo “satélite”, e caderno de anotações.

Acidente que matou PM

Na tarde de quarta (29), o cabo Idemar estava em serviço em uma moto-viatura quando foi atingido, por volta das 13h, em uma rotatória por um carro, modelo Toyota Hilux, que tentava entrar em um condomínio. Testemunhas contaram que o motorista fez uma conversão proibida e atingiu o PM, que caiu da moto e bateu com a cabeça no chão, e mesmo de capacete, ficou ferido. Veja as imagens:

O impacto foi tão forte que o para-choque do carro caiu no chão, e o PM foi arremessado. O motorista do carro fugiu do local e seguiu para o condomínio. Tropas do Comando de Policiamento da Região Metropolitana (CPRM) e do Comando de Missões Especiais (CME), em conjunto com a Polícia Civil, realizaram buscas a fim de localizar e prender o suspeito. 

O Cabo Idemar ainda foi socorrido por uma ambulância do Corpo de Bombeiros, mas morreu antes de chegar ao Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) de Ananindeua.

Em nota, a Polícia Militar informou que lamenta a morte do cabo Idemar e colheu informações no local bem como imagens de um circuito interno de câmeras, que demonstram que um homem - provavelmente, Marcelo - era quem dirigia o caro que atingiu o PM.

Segundo a Polícia Militar, uma mulher se apresentou na Seccional de Polícia Civil da Cidade Nova, como sendo a condutora do veículo que causou o acidente, e foi ouvida pela Polícia Civil do Estado. "No entanto, ao contrário da versão apresentada, já há comprovação de que não era ela a motorista do veículo e que o real condutor era um homem, já identificado", disse o comunicado. Marcelo ainda não se apresentou na seccional da Cidade Nova para prestar esclarecimentos e, de acordo com a Polícia Civil do Pará, o caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios de Agentes Públicos (DHAP).

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA