Homem que matou esposa a tiros em garimpo de Itaituba em 2016 é preso em município do Mato Grosso

Segundo informações colhidas na época do crime, homem matou a jovem por ciúmes

Redação Integrada

Policiais civis de Paranaíta, município do Mato Grosso que faz divisa com o Pará, cumpriram nesta semana um mandado de prisão preventiva contra Valdinez Gomes Pereira, 42 anos, homem foragido da Justiça do Estado do Pará. Ele é réu em uma ação penal pelo crime de homicídio qualificado cometido contra a ex-companheira em 2016, quando matou Keilleane da Silva, de 28 anos, a tiros em uma região de garimpo no município de Itaituba, no sudoeste paraense.

Os investigadores da Delegacia de Paranaíta receberam uma informação de que havia um homem com atitudes suspeitas morando na Gleba Mandakaru, localidade na zona rural do município. A equipe realizou diligência até o local para checar as informações.

Ao chegarem lá, os investigadores encontraram o suspeito, que chegava ao barraco em que vivia. Em entrevista, os policiais perceberam contradições nas informações passadas pelo homem, que se apresentou com um nome diferente.

Um dos investigadores questionou quem era a pessoa conforme o nome que constava no mandado de prisão e o suspeito respondeu que seria seu irmão, que não o encontrava há alguns anos. Confrontado com a informação se os dois seriam gêmeos e também com uma imagem divulgada em um jornal do Pará, o homem acabou assumindo sua verdadeira identidade e o crime cometido.

O homem foi conduzido para a Delegacia de Paranaíta e apresentado ao delegado Eugênio Rudy Jr., que deu cumprimento ao mandado de prisão expedido pela Comarca de Itaituba. “Parabenizamos a ação da equipe de investigadores da Delegacia de Paranaíta, que não mediram esforços para que fosse cumprido o mandado de prisão diante do feminicídio ocorrido no município de Itaituba, no Pará”, destacou o delegado.

A vítima, identificada como Keilleane da Silva, 28 anos, foi vítima de feminicídio em novembro de 2016, em um garimpo no distrito de Crepurizão, município de Itaituba. Na época do crime, pessoas que conviviam com o casal contaram que ele matou a jovem por ciúmes e por não aceitar o fim do relacionamento. De acordo com o delegado Vicente Gomes, superintendente da do Tapajós, esse foi o único caso de feminicídio registrado naquele ano em Itaituba, e que felizmente, o apoio da polícia do MT resultou na prisão do responsável.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA