logo jornal amazonia

Com mandados no Pará, PF desarticula organização especializada em contrabando de cigarro

Mandados de busca e apreensão são cumpridos em cinco municípios brasileiros, dentre eles três cidades paraenses

O Liberal

Belém, Abaetetuba e Acará, no Pará, estão entre os cinco municípios brasileiros onde a Polícia Federal (PF) cumpre 12 mandados de busca e apreensão contra grupo especializado no contrabando de cigarros nesta quarta-feira (26). Os mandados estão sendo cumpridos por 45 agentes. Também na cidade de Garanhuns (PE) e Arapiraca (AL).

VEJA MAIS

PF deflagra operação contra comércio de ouro ilegal e lavagem de dinheiro no Pará e mais 19 estados
Operação Gold Rush cumpre mandados no Pará, São Paulo, Minas Gerais e mais 4 estados; práticas criminosas envolvem mais de R$ 300 milhões

Operação da PF contra garimpo ilegal prende homem com ouro em terras indígenas no Pará
A investigação apura suspeita de que pessoas ligadas a garimpeiros teriam repassado mais de R$ 35 milhões em ouro para negociadores em Altamira, revendidos a joalherias de vários estados do Brasil

PF e Exército Brasileiro destroem 58 armas apreendidas em operações contra crimes ambientais no Pará
Foram inutilizadas espingardas de calibres diversos, carabinas e revólveres, além de mais de 240 munições de calibres que iam desde pistolas, como o 9 mm, a fuzis como o 556

Segundo a PF, a investigação começou em 2020, depois da prisão em flagrante de quatro pessoas e a apreensão de aproximadamente 3,3 mil caixas de cigarros de origem estrangeira, na região de Itapera, zona rural da capital maranhense São Luís. 

“Com aprofundamento das investigações, evidenciou-se que um grupo estabelecido no estado do Pará estaria utilizando portos clandestinos localizados na costa maranhense para descarregar cigarros estrangeiros vindos do Suriname”, informou a PF em nota.

Além dos mandados de busca, a Justiça Federal determinou o bloqueio de ativos financeiros até o limite de R$ 8,2 milhões em desfavor de um dos investigados e de uma empresa, supostamente utilizada para lavar dinheiro do grupo. Caso condenados, os investigados poderão responder pelos crimes de contrabando e associação criminosa. Somadas, as penas previstas podem chegar a 13 anos de reclusão.

Palavras-chave

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA