Navio que 'sumiu' a caminho de Macapá chega em Santana com 38 horas de atraso

Sem sinal telefônico, tripulantes do Ana Beatriz III ficaram sem comunicação e viagem até Santana atrasou 38 horas

Cleide Magalhães

Um problema no motor do navio Ana Beatriz III, que saiu de Belém (PA) rumo a Macapá (AP), atrasou por 38 horas a viagem da embarcação, que contava com cerca de 100 passageiros. O navio só atracou às 7h desta terça-feira (3) no Porto do Grego, em Santana, em Macapá. A informação foi confirmada por um vendedor de passagens do navio. Todos os passageiros estão bem.

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup) confirmou que a embarcação sofreu uma pane na turbina e ficou atracada por cerca de 8h em uma região entre o município de Breves e Afuá, sem seguida foi enviada uma embarcação para prestar socorro e nenhuma alteração foi registrada.

“O navio saiu 17h de sábado de Belém rumo à Macapá. Pela madrugada, próximo ao município de Breves, na ilha do Marajó, deu um problema no motor e o comandante encostou na beira do rio para ajeitar o motor. Mas não conseguiu consertar e não havia comunicação com ninguém, porque nessa área não funciona a comunicação por telefone. As pessoas falaram que ficou à deriva no rio e que piratas pegaram a embarcação, mas não procede. Havia cerca de 100 passageiros”, relatou o funcionário.

Logo pela manhã de domingo, ainda segundo ele, um tripulante pegou a lancha do navio e foi até a cidade de Breves buscar um mecânico, que não conseguiu ajeitar o motor. “Então, alugou um ferryboat para rebocar o navio, que chegou no Porto do Grego, em Santana, em Macapá, às 7h desta terça. Deveria chegar às 17h de domingo (01). É feita a manutenção no navio, mas o motor quebra também”, disse.

De acordo com a supervisão do Companhia de Portos e Hidrovias (CPH), que administra o Terminal Hidroviário, não há informação sobre o ocorrido junto à CPH. O navio Ana Biatriz III pertence à empresa Enasal e tem capacidade máxima para 400 pessoas.Segundo a Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon), por ser uma viagem interestadual, não cabe à Arcon a fiscalização do navio. Disse que é com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). A reportagem tenta contato com a Antac.

Capitania dos Portos confirma que todos estão bem


Procurada pela redação integrada de O Liberal, a Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR), informou que a  Marinha do Brasil recebeu a denúncia que a embarcação Ana Beatriz II, que saiu de Belém com destino a Breves, "apresentou problemas técnicos e ficou à deriva".

Segundo a nota da Marinha do Brasil, a embarcação "foi rebocada por outra embarcação da empresa, chegando ao seu destino no início da manhã de hoje (3)". A Capitania dos Portos diz que não houve vítimas, e que "todos passageiros e tripulantes estão bem", confirmou a Marinha.

"Uma equipe de Busca e Salvamento (SAR) foi enviada para  averiguar o ocorrido, notificar a empresa e garantir a segurança da navegação. Não houve vítimas e nem poluição hídrica. Será instaurado Inquérito para apurar as causas, circunstâncias e os responsáveis pelo acidente", diz a Marinha do Brasil.

A Capitania dos Portos pede que a população ajude o esforço de fiscalização, informando situações que possam afetar a segurança do tráfego aquaviário, a salvaguarda da vida humana no mar e vias navegáveis - ou que representem riscos de poluição ao meio hídrico. As denúncias podem ser feitas pelo Disque Emergências Marítimas e Fluviais (185 ) e também pelos números (91) 3218-3950 ou (91) 99114-9187 (aplicativo de mensagem instantânea).

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM PARÁ