EUA executam primeira prisioneira transgênero condenada à morte

McLaughlin foi condenada por assassinato em primeiro grau em 2006 e à morte em 2021

Luciana Carvalho
fonte

Na noite desta terça-feira (3), uma detenta foi condenada e executada pela pena de morte nos Estados Unidos por um assassinato em 2003. De acordo com o registro, essa foi a primeira execução de uma mulher transgênero no país. As informações são do portal G1.

Amber McLaughlin, de 49 anos, havia sido condenada por perseguir e matar uma ex-namorada e depois jogar o corpo da vítima perto do rio Mississippi, na cidade de St. Louis. O destino de McLaughlin foi definido na própria terça-feira, quando o governador republicano Mike Parson recusou um pedido de clemência.

Antes da execução, a prisioneira falou baixo com um conselheiro espiritual que estava ao seu lado, enquanto a dose fatal de pentobarbital era injetada. McLaughlin respirou pesadamente algumas vezes, depois fechou os olhos. Ela foi declarada morta alguns minutos depois.

“Sinto muito pelo que fiz”, disse McLaughlin em uma declaração final por escrito. “Eu sou uma pessoa amorosa e carinhosa”.

VEJA MAIS

image Irã tem primeira condenação à morte por protestos; 20 pessoas podem receber a mesma pena, diz ONG
Onda de manifestações tomou conta do país após a morte da jovem Mahsa Amini, de 22 anos, detida pela polícia por supostamente não usar o hijab (véu obrigatório) da maneira adequada

image Americana é condenada à pena de morte por matar amiga grávida e roubar o feto
A vítima foi esfaqueada 100 vezes na barriga e teve o bebê retirado do útero

image Egito planeja exibir ao vivo em TV execução de universitário que matou colega que o rejeitou
O ataque a estudante foi registrado por câmera de segurança da Universidade de Mansoura

Segundo o Escritório de Estatísticas da Justiça dos EUA, há 3.200 detentos transgêneros nas prisões e cadeias do paísMcLaughlin havia feito a transição de gênero há cerca de três anos na prisão estadual de Potosi.

Sua petição de clemência citou uma infância traumática e os problemas de saúde mental de McLaughlin, que o júri nunca ouviu durante o julgamento. Um pai adotivo esfregou fezes em seu rosto quando ela era criança e usou uma arma de choque nela, de acordo com a petição. Ele citou uma depressão severa que resultou em várias tentativas de suicídio, tanto na infância quanto na idade adulta.

A petição também incluía relatórios citando um diagnóstico de disforia de gênero, uma condição que causa angústia e outros sintomas como resultado de uma disparidade entre a identidade de gênero de uma pessoa e seu sexo atribuído no nascimento. Mas a identidade sexual de McLaughlin “não era o foco principal” do pedido de clemência, disse seu advogado, Larry Komp.

O crime

Em 2003, muito antes de fazer a transição de gênero, McLaughlin teve um relacionamento com Beverly Guenther. Depois do fim do namoro, McLaughlin costumava aparecer no escritóriode St. Louis onde Guenther, de 45 anos, trabalhava, segundo os registros do tribunal. Guenther obteve uma ordem de restrição com escolta policial.

Os vizinhos de Guenther chamaram a polícia na noite de 20 de novembro de 2003, quando ela não voltou para casa. Os policiais foram ao prédio comercial, onde encontraram um cabo de faca quebrado perto do carro dela e um rastro de sangue.

Um dia depois, McLaughlin levou a polícia a um local perto do rio Mississippi em St. Louis, onde o corpo havia sido despejado. As autoridades disseram que ela foi estuprada e esfaqueada várias vezes com uma faca de carne.

McLaughlin foi condenada por assassinato em primeiro grau em 2006. Após apelações, ela foi condenada à morte em 2021. “McLaughlin aterrorizou a Sra. Guenther nos últimos anos de sua vida, mas esperamos que sua família e entes queridos possam finalmente ter um pouco de paz”, disse o governador republicano em um comunicado por escrito após a execução.

(Luciana Carvalho, estagiária da Redação sob supervisão de Elisa Vaz, repórter do Núcleo de Política)

Mundo
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO