Há 15 anos, Remo estreava na Série C e técnico revela bastidores do clube que chegou ao título nacional

Remo teve bastante dificuldades para montar o elenco de 2005

Fabio Will

O Remo possui um único título brasileiro, a Série C de 2005, no ano do seu centenário. A conquista ocorreu fora de Belém, na cidade de Novo Hamburgo (RS), com drama, tensão e com combinação de resultados. Mas esse final feliz teve início no dia 31 de julho, estreia do Leão fora de casa na competição nacional.

Disputando pela primeira vez a Série C, o Remo encarou o São Raimundo-RR e empatou em 2 a 2. Os gols do Remo foram marcados por Jair e Landu, com o clube paraense tomando o empate já na reta final da partida. Quem esteve comandando Leão nesta partida foi o técnico Walter Lima, que ficou no clube só por um jogo. Em entrevista ao OLiberal, Waltinho relatou os motivos de ter saído do Remo e as dificuldades de se montar o elenco com a falta de recursos.

“A montagem daquele elenco foi complicada, clube desacreditado, o Remo estava atuando na Série C, a última divisão do futebol e isso pesava demais. Ficaram do Parazão apenas os jogadores Márcio Belém, Serginho e Odair (atual técnico do Fluminense). Foi então que coloquei para treinar no profissional todos os garotos da base e conseguimos compor o elenco com o Barata, Anelka e outros”, falou.

PREPARAÇÃO

O Remo fez vários amistosos de preparação pelo interior do estado, além de disputar um torneio com São Raimundo, São Francisco e Abaeté, vencido pelo Leão. Alguns jogadores foram chegando, que se tornaram peças fundamentais no time.

“Fomos atrás de alguns jogadores, um exemplo foi o Magrão, zagueiro, que estava desacreditado, além do Landu, que estava no Abaeté. A diretoria deu carta branca para ir atrás de atletas e aos poucos o elenco foi ficando encorpado com as chegadas do meia Emerson, do atacante Douglas Richard. Foi difícil já que não tínhamos dinheiro, mas compensávamos com vontade e muito treino”, relatou.

Waltinho com os atletas antes do treino no Baenão (Ary Souza / Arquivo OLiberal)

DEPOIS DA ESTREIA

Após o empate em 2 a 2, Walter Lima teve que saber contornar um problema sério, ocorrido na viagem para Roraima. A logística de viagem. Segundo Waltinho, o Remo teve problemas na ida e principalmente na volta, fato que o fez entregar o lugar.

“O futebol é preciso ser levado a sério. O Remo chegou em Roraima (RR) no dia da partida, pela manhã. No retorno não tínhamos passagens e acabamos ficando em Manaus (AM) por três dias, já que as passagens foram marcadas erradas. O médico deixou a delegação e retornou a Belém, nesse período o Douglas Richard teve um problema de saúde e isso me deixou preocupado. Quando chegamos falei com o presidente da época e pedi para sair”, comentou.

RECONHECIMENTO

Waltinho revelou que recebeu um telefonema do presidente Raphael Levy, logo após a partida final contra o Novo Hamburgo-RS, sendo considerado pelo mandatário azulino como uma das peças importantes da conquista do título. Depois de 15 anos o treinador disse que sua passagem foi importante para o desfecho de um ano inesquecível para o torcedor remista.

“Foi um momento difícil, sem dinheiro, sem credibilidade, mas conseguimos dar uma direção para o Remo. Vários amistosos em campos de terra, administrar a cabeça dos jogadores foi um desafio. Nunca me intitulei campeão, mas por tudo isso, acredito que tenho um grau de importância nessa conquista”, finalizou.

Remo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES