Goleiro do Paysandu revela história engraçada: "Eles estão na minha sombra"

Titular e líder da melhor defesa do campeonato, Mota não quer dar brechas para seus concorrentes

Redação Integrada

Cinco jogos seguidos sem tomar e a condição temporária de melhor defesa do campeonato - apenas dois gols tomados. As marcas são do Paysandu, líder do Campeonato Paraense 2019, que encara o Castanhal, domingo (17), a partir das 10h, no estádio da Curuzu.  

O sucesso, embora parcial, tem uma receita, que é prezar pela concorrência entre os jogadores, de maneira sadia, sem rivalizar.  Não é algo tão simples num grupo em que 29 jogadores lutam por 11 vagas de titulares. 

O goleiro Mota revelou, em entrevista coletiva, um episódio engraçado e revelador do ambiente bicolor, em meio a fase positiva. "Sempre converso com o Douglas e Paulo Afonso. Vocês estão na minha sombra, me deixa treinando (risos). Eles estão fazendo rachão e eu estou ali treinando. Para chegar nos jogos e não assustar", disse, argumentando que declinou um convite do segundo e do terceiro goleiros do Paysandu para disputar um rachão, que é o treinamento sem compromisso tático e disputado, em geral, com descontração. Ao invés de um momento mais leve, preferiu a frieza de um treinamento de saída de bola e de finalização, objetivando seguir se aperfeiçoando. 

A exemplo de Mota, Douglas Silva foi contratado para a temporada 2019, recuperou-se de contusão e busca espaço na equipe titular (Jorge Luiz/Ascom Paysandu)
Paulo Ricardo sentou no banco de reservas e luta pela condição de segundo goleiro do Papão (Ascom Paysandu)

 

Mota, de fato, é um atleta concentrado. Não mudou a sua expressão, nem quando foi alvo de críticas em função de partidas ruins, principalmente, as duas primeiras, em que falhava em bolas aparentemente simples - não segurou finalizações contra São Francisco e Bragantino, além de errar em um cruzamento, em partida válida pela primeira e segunda rodada do Parazão. Foi um cartão de visita ruim, já que ele chegou ao clube este ano. "É cobrado quem é bom. Não estava bem", admitiu. 

Hoje, ele ostenta a condição de goleiro menos vazado do Campeonato Paraense, além de ter acrescentado qualidade ao seu jogo. Segundo ele, trata-se de uma questão de oportunidade. "É única, que é subir esse time ai, não posso deixar passar essa oportunidade", afirmou. 

Elogios

O goleiro Mota considerou que os bons números defensivos são resultados de uma dedicação técnica e tática dos outros setores da equipe. "O nosso ataque e os nossos meias têm ajudado bastante. Estamos dando conta. É claro que todo goleiro quer entrar em campo sem tomar gol". 

O camisa 1 também disse que o momento é um indicator da qualidade do time. "Se a bola chegar muito no goleiro é porque o time não é bom. Não é o nosso caso. O time é bom. Mas, é sempre bom chegar uma bolinha, fazer a defesa e pegar confiança". 

Afonso tem 20 anos e também é uma opção para o gol bicolor (Jorge Luiz/Ascom Paysandu)

 

Paysandu