Ex-presidente do Paysandu, dono do Carajás dispara contra clubes e FPF: "Picaretas"

Luiz Omar Pinheiro publicou um vídeo nas redes sociais para condenar a organização do campeonato paraense de base

Redação Integrada

Caracterizado por ser polêmico e contundente, o ex-presidente do Paysandu e atual dono do Carajás, Luiz Omar Pinheiro, foi às redes sociais para disparar contra a organização do campeonato paraense sub-20 de futebol masculino e também contra as competições de base de um modo geral no Estado. Durante as reclamações do dirigente, sobraram acusações até mesmo contra clubes.

Finalista do sub-20, o Carajás se classificou após vitória sobre o Paysandu por 1 a 0 dentro da Curuzu, em jogo finalizado em meio a um tumulto e a tentativas de agressão de jogadores e integrantes da comissão técnica do Paysandu contra os árbitros do duelo.

"Vocês, presidentes de cubes, são todos covardes. É um bando de picaretas!" - Luiz Omar Pinheiro.

"Eu não estou na final do campeonato por acaso. Nós não recebemos favorecimento para chegar à final. Vocês, presidentes de cubes, são todos covardes. É um bando de picaretas! O pessoal do Sport Belém é irresponsável, porque não veio aqui jogar no Mamazão e perdeu por W.O.. O que não pode é o senhor Garrido, do Paraense, querer botar banca para não vir aqui também. Jogamos no Ceju, sem nem mesmo um banco de reservas. E a FPF é conivente com isso, porque aprovou a troca do local! Tivemos um jogo em um campo onde não tinham nem onde os jogadores trocarem de roupa. Os meninos ficaram embaixo de uma árvore! Ei, estamos tratando com jovens, crianças e pais de família. Não podemos expor as pessoas desse jeito! Só deveria disputar um campeonato paraense quem tem estrutura física para isso. Quem não tem, não disputa!", falou e frisou: "Sabem quem vai mudar isso? O Ministério Público. E eu já disse que estou à disposição pra o que precisar".

Assista ao desabafo de LOP na íntegra abaixo!

Diante das declarações, a reportagem de O Liberal tentou contato com o presidente da FPF, Adelcio Torres, mas não foi atendida. O treinador do Sport Belém, José Carlos, no entanto, falou sobre o caso e também mostrou insatisfação com a competição:

"A FPF, através do Chapelinho, passou uma informação errada aos dirigentes dos clubes. O jogo estava marcado para o período da manhã e o Chipelinho passou que seria à tarde. O Carajás foi ao campo de manhã e o Sport Belém se preparou para ir só à tarde. No final das contas, fomos desclassificados porque a derrota por W.O. representa eliminação na competição. O pior é que ficou tudo por isso mesmo", disse.

O presidente do Paraense, Marco Garrido, também se pronunciou sobre o tema e finalizou a declaração dizendo que Omar Pinheiro "tem que cuidar primeiro do clube dele para depois querer mandar no clube dos outros".

"Acontece que o senhor Luiz [Omar Pinheiro] quer ser presidente da Federação, mas fica denegrindo a imagem do Paraense, do Sport Belém e a minha pessoa" - Marco Garrido.

"Seriam dois jogos, um era mando meu e outro era mando dele. Acontece que ele mexeu os pauzinhos lá e retirou o nosso mando de jogo. O nosso mando de jogo foi no nosso centro de treinamento. O nosso centro de Treinamento oferece todas as condições. A Federação autorizou o nosso jogo lá na primeira fase. Tem o vestiário que é cedido para o time adversário, tem o nosso campo, tem ambulância, inclusive com UTI, com desfibrilador com tudo, né? Nós jogamos o primeiro jogo no Mamazão e depois ele tirou o nosso mando e fez a gente jogar no Ceju, onde não tinha cobertura, não tinha policiamento, não tinha ambulância, não tinha médico, não tinha nada! Ele criticou o Paraense e a minha pessoa quando disse que eu não quis dar o jogo contra a Tuna. Logicamente, não fui eu quem cancelou o jogo contra a Tuna, mas o árbitro que viu que não tinha ambulância, não tinha médico, não tinha policiamento... Acontece que o senhor Luiz [Omar Pinheiro] quer ser presidente da Federação, mas fica denegrindo a imagem do Paraense, do Sport Belém e a minha pessoa", declarou.

Ouça o posicionamento de Marco Garrido na íntegra abaixo!

O caso segue em discussão na Federação Paraense de Futebol. Ao todo, o campeonato estadual da categoria sub-20 envolveu 29 equipes, que jogaram a fase classificatória distribuídas em três chaves desde o dia 14 de setembro. Neste mês, a disputa chegou à semifinal, que definirá quem vai disputar a taça de campeão na fnalíssima do certame.

 

Paysandu
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES