Pelo mundo afora: jogadores falam sobre medidas para conter avanço do coronavírus

Jogadores paraenses ou com passagem marcante no cenário local expuseram que os clubes suspenderam suas atividades

Nilson Cortinhas

Espalhados pelo Brasil, em busca do sonho de terem sucesso na concorrida carreira de futebol profissional, alguns atletas paraenses ou que tiveram passagens pelos clubes da região conversaram com a reportagem sobre o efeito oriundo da propagação da Covid-19. Vários clubes suspenderam a atividade, diante do não andamento das competições. Em quase todos os casos, os clubes passam orientações de atividades físicas objetivando que os atletas não tenham déficit físico, até a situação se estabilizar.  

Welthon 

Ex-jogador do Remo, o atacante Welthon, de 27 anos, atua pelo Paços de Ferreira, da primeira divisão do futebol português. O país europeu vivencia um momento delicado da sua história. Há um surto com mais de 600 casos de Covid-19 confirmados e o futebol profissional está suspenso. Welthon comentou o fato. "A gente está em quarentena, por ordem do clube. O clube também está parado. Eles passaram todas as orientações e nos pediram para que a gente não saia de casa", disse. "Temos um grupo (aplicativo de mensagem) do clube e eles estão passando os trabalhos que temos que fazer em casa para tentar não perder tanto na parte física e técnica. Cada dia é um trabalho diferente", disse.

Leandro Cearense 

Ex-jogador de Remo e Paysandu, tendo obtido títulos relevantes na Curuzu, como a Copa Verde de 2016, o  atacante Leandro Cearense, 34 anos, integra o elenco do Vila Nova-MG. A reportagem conversou com o atleta minutos após a última movimentação do clube. "Estou saindo do treino. Foi o último hoje (quarta-feira, 18). Os times de Belo Horizonte pararam", disse. O Campeonato Mineiro está suspenso e há comentários no sentido de que a competição sequer voltará. Leandro Cearense garante que vai ficar atento à parte física. "O clube passou uma cartilha para fazer em casa, com trabalho funcional e aeróbico".  

Leandro Cearense foi artilheiro do Paysandu em campeonatos nacionais (Akira Onuma)

Flamel 

Aos 36 anos, o ex-meia de Paysandu e Remo está no América-RJ, que disputa o Campeonato Carioca. "Paramos tudo, estamos liberados por 15 dias para voltar para a residência. Depois disso, teremos outra posição. Vamos aguardar", disse. Segundo ele, o cenário no Rio de Janeiro é de intranquilidade, o que inviabiliza o futebol profissional. "O Corona Vírus está aumentando. A cidade já parou, escolas e todos os eventos esportivos. Estamos preocupados. A movimentação é grande de pessoas, de turistas, praia não pode mais! Tudo fechado". O atleta revelou que está voltando para Belém, sendo que o seu voo fará uma escala em São Paulo. "Estou com receio, mas antecipei a ida antes que os casos tenham mais registros", afirmou.

(Akira Onuma / O Liberal)

Marlon 

Lateral-esquerdo e volante, Marlon, que já jogou por Remo, Paysandu e  Águia, está com 34 anos e faz parte do elenco do Santo André-SP. "Paramos. Nos mandaram ir para casa. Irei treinar em casa", revelou o atleta. Até então, o Santo André realiza excelente campanha no Campeonato Paulista, liderando o grupo B, cujo vice-líder é o poderoso Palmeiras.

Futebol
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES