Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Depois de envolver-se em acidente com morte, zagueiro do Bragantino deixa prisão e muda de cidade

Renan Silva precisou deixar Bragança Paulista, após a família sofrer ameaças por conta de acidente que resultou na morte de motociclista, na última sexta-feira

Luiz Guilherme Ramos

Na última sexta-feira (22), o zagueiro do Red Bull Bragantino, Renan Silva, se envolveu num grave acidente que resultou na morte de um motociclista. Depois de ser levado à delegacia e preso, o atleta pagou fiança no valor de R$ 240 mil e deixou a cadeia, mas precisou se mudar da cidade, por conta das ameaças que ele e a família vêm recebendo. 

VEJA MAIS

Zagueiro do Red Bull Bragantino atropela e mata motociclista no interior de São Paulo
De acordo com a Polícia Civil, jogador tinha sinais de embriaguez e teria se recusado a fazer o teste do bafômetro


Zagueiro do Bragantino acusado de matar motociclista deixa prisão após pagar fiança de R$ 242 mil
A liberdade veio após audiência de custódia, realizada neste sábado; jogador estava sem habilitação e dirigia alcoolizado quando atropelou e matou o homem na cidade de Bragança Paulista

Segundo informações, a família do zagueiro foi ameaçada na frente do condomínio onde morava, no período em que esteve detido. Por decisão de seus advogados, depois de passar um dia preso, foi pedido à justiça a mudança de cidade, para que ele responsa em segurança pelo crime de homicídio culposo. 

"[Renan] tomou conhecimento, por familiares, de que nessas últimas 24 (vinte e quatro) horas já recebeu ameaças na porta da sua residência, tendo motivos concretos para temer por sua integridade física e de sua família", disseram os advogados do atleta. "Inclusive, circulam nas redes sociais comentários ameaçadores e vídeos contendo agressividade contra [ele]", completaram.

Entenda o caso

O acidente em questão resultou na morte do encarregado Eliezer Pena, que estava de moto, a caminho do trabalho, na cidade de Bragança Paulista, São Paulo, quando foi atingido pelo carro do jogador, um Honda Civic, por volta das 6h30 da manhã. A vítima deixou esposa e duas filhas

Durante os primeiros levantamentos na cena do crime, a Polícia Rodoviária Estadual encontrou uma garrafa de bebida alcoólica, que será periciada, já que o atleta se recusou a fazer o teste do bafômetro por duas vezes, por orientação de sua defesa. Quatro horas depois, um exame clínico foi realizado e não atestou embriaguez.

O caso foi encaminhado ao Ministério Público de Bragança Paulista, que irá decidir qual crime Renan responderá. A pena para homicídio culposo pode variar entre cinco e oito anos, com o agravante de que ele não portava a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Caso o MP decida pelo homicídio doloso, com intenção de matar, a pena pode chegar a até 20 anos. 

Renan pertence ao Palmeiras e está emprestado ao Red Bull Bragantino. Na imprensa local é dito que os clubes já se movimentam para romper o vínculo empregatício com o atleta, que foi campeão mundial sub-17 com a Seleção Brasileira e campeão da Libertadores com o Verdão.  

Futebol
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM FUTEBOL

MAIS LIDAS EM ESPORTES