Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Programa Primeiro Ofício já inseriu mais de mil jovens aprendizes no mercado

Estado tem apresentado resultados positivos na contratação desse seguimento

O Liberal

Mateus Reis tem 23 anos e há seis meses foi contratado por uma rede de restaurantes. Ele conta que foi inserido na vaga por meio do Programa Primeiro Ofício, iniciativa do governo do Estado que garante oportunidades de aprendizagem a jovens de 14 a 24 anos que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

O trabalho desempenhado pelo jovem ganhou destaque e o mesmo já foi informado que ao terminar o contrato como aprendiz ele integrará a equipe de funcionários efetivos. “É uma grande oportunidade. Iniciei minha faculdade e o auxílio financeiro do programa me ajuda a custear esse curso. Tem sido muito importante integrar a equipe, aprendo bastante com cada um", reforçou Mateus. 

O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), mantém a iniciativa que visa sensibilizar empresas que usufruem de algum tipo de benefício fiscal a dedicar 30% de vagas do Programa Jovem Aprendiz a pessoas em situação de vulnerabilidade. O Programa já inseriu aproximadamente 1.298 jovens em vagas de aprendizagem e certificou diversas empresas com o Selo “Empresa Cidadã”.

Atualmente, a rede de restaurantes, no qual Mateus faz parte, conta com cinco aprendizes. O sócio-proprietário, Emanuel Simões, diz que o intuito da empresa é abrir mais oportunidades de contratação, em especial aos jovens. 

"Eu vejo o programa como uma grande oportunidade para os jovens, é através dele que inserimos este público em nosso ambiente de trabalho, dando todo o suporte, todo treinamento, acompanhando o desenvolvimento, para que posteriormente existam possibilidades de contratação. O Mateus chegou através do programa, desempenha um excelente trabalho, é uma pessoa comprometida com os horários e com os processos da empresa. Eu venho conversando com ele e com certeza terá a oportunidade de se tornar um funcionário da casa", afirmou. 

Estudo

Em agosto deste ano, um estudo divulgado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), apontou que só no primeiro semestre (janeiro a junho de 2021) o Estado registrou, aproximadamente, 5 mil novas contratações voltadas a jovens aprendizes. O estudo ainda revela que nos últimos 12 meses a contração de jovens em todo o Pará preencheu quase 8,5 mil postos. Os resultados obtidos pelo Pará são os maiores verificados entre os demais estados da Região Norte.

O titular da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, Inocencio Gasparim, destaca a importância dos resultados obtidos e o envolvimento da Seaster em políticas públicas voltadas à juventude.

“Com a execução da vacina, temos observado resultados extremamente positivos, entre eles a manutenção do Pará no ranking de geração de empregos entre os estados da Região Norte. As ações no sentido de prover recursos à economia, movimentaram o comércio, o serviço e, consequentemente, potencializaram a contratação de trabalhadores, entre eles os jovens. Através do primeiro Ofício, mais de 20 empresas já participaram desse processo e receberam o selo de Empresa Cidadã, já que mesmo em meio a pandemia, a Seaster continuou realizando parcerias e mantendo contato com os empresários", destacou.

"É papel do Estado dar oportunidade aos jovens, em especial aqueles que estão em situação de vulnerabilidade, possibilitando o ingresso no mercado de trabalho e aproximando as empresas do governo, colocando em pauta questões como a redução da violência e a aprendizagem", enfatizou o Secretário Adjunto de Trabalho e Emprego da Seaster, Miriquinho Batista.

Palavras-chave

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA