Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Governo Federal apresenta Marajó na Expo Dubai 2020

Com a iniciativa de captar recursos para a região, a Expo Marajó será uma oportunidade de reforçar as ações do Abrace o Marajó e de promover produtos paraenses.

Sérgio Chêne / O Liberal

Gerar oportunidades de negócios e atrair investimentos internacionais para proporcionar o desenvolvimento socioeconômico dos municípios do Marajó. Estes são os objetivos gerais da Expo Marajó, que ocorre entre os dias 10 e 19 de dezembro de 2021, no Pavilhão Brasil da Expo 2020 Dubai, nos Emirados Árabes. Os 25 milhões de visitantes previstos na feira internacional terão acesso a uma carteira de projetos e a produtos regionais que poderão ser exportados para todo o mundo.

O evento vai expor imagens e sentidos com a exposição de cenas que irão retratar os campos, florestas, cheiros e sabores da cultura regional. A iniciativa e realização é do Governo Federal, por meio do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), numa ação parceira com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Federação de Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), Federação da Indústria do Estado do Pará (Fiepa) e Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Pará (Fecomércio-PA).

No período do Expo Marajó estão programadas atividades culturais, oficinas gourmet e atividades no espaço Criar Marajoara. A arquitetura típica marajoara ganhará forma com a edificação de uma vila de casas de palafitas, que estará em exposição no acesso à Praça das Águas.

A ministra Damares Alves estará em Dubai, nos Emirados Árabes, para participar do evento. "Os investimentos internacionais poderão colaborar para mitigar os efeitos das alterações climáticas, aproximar povos e culturas em prol da prosperidade local, promover a inclusão e a preservação da Amazônia, além de garantir acesso a direitos e serviços que a população ainda busca”, destacou.

A ministra Damares Alves estará em Dubai (Sidney Oliveira / O Liberal)

Expectativa

Dentre os resultados esperados pelo Governo Federal estão a melhoria do IDH da região, atrair investimentos, promover o roteiro turístico e a cultura marajoara, além de promover ações comerciais. No evento de abertura do Expo Marajó estão previstas mesas redondas sobre a região paraense e o projeto Abrace o Marajó. No dia 10, 70 convidados estarão experimentando um coquetel com sabores marajoaras. De 13 a 16, ocorrerá a interação com Marajó/Dubai. Ações pedagógicas e de oportunidades de negócio também estão previstas.

Panorama

O arquipélago do Marajó é composto por 2,5 mil ilhas divididas entre 16 municípios com uma população total de cerca de 570 mil habitantes. A região tem grande potencial de investimento em áreas como infraestrutura, bioeconomia, economia circular, inovação e turismo. No entanto, atualmente, apresenta um dos mais baixos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do país — possui oito municípios entre os 50 com pior IDH.

O Governo Federal vem trabalhando para mudar este cenário. Desde março de 2020, já investiu cerca de R$ 950 milhões com o auxílio emergencial. Por meio do Programa Abrace o Marajó, coordenado pelo MMFDH, ainda prevê investir, até 2023, R$ 720 milhões e quer atrair ainda mais recursos com a exposição internacional.

A Expo Marajó será uma oportunidade de apresentar um novo modelo de desenvolvimento sustentável da Amazônia, partindo da preocupação com a violação de direitos humanos que ocorrem na região — principal fundamento do Programa Abrace o Marajó. Quem ganha com a iniciativa é a própria população local. “Preservar a Amazônia é fundamental, promover o bem-estar do povo que mora ali também. O mundo inteiro irá se encantar pelo Marajó”, disse o diretor do programa, Henrique Villa.

Abrace o Marajó

O Programa Abrace o Marajó, instituído em março de 2020, trata-se de uma gestão compartilhada entre a União, o Estado do Pará e os 16 municípios que compõem o Arquipélago, com foco na ampliação do acesso e na melhoria da entrega de políticas públicas à região.

A estratégia de combater violações de direitos humanos por meio de ações coordenadas e integradas de desenvolvimento socioeconômico e ambiental em território selecionado vai ao encontro do conceito de desenvolvimento regional amplamente aceito. O Programa Abrace o Marajó é uma iniciativa concreta de desenvolvimento regional tendo a Amazônia brasileira como pano de fundo e o arquipélago como território demonstrativo.

Terra de oportunidades

Um portfólio com oito projetos a serem executados no Marajó serão fomentados na exposição com o objetivo de atrair investimentos. A estimativa é de que, juntos, possam receber cerca de R$ 15 milhões em recursos – que seriam voltados para a organização e fortalecimento da cadeia produtiva de açaí, da criação de búfalos, no apoio a criação de animais pelos povos e comunidades tradicionais e na produção de alimentos, na geração de energia verde (eólica), no combate à desnutrição infantil e no cultivo de peixes.

Expansão

Além disso, em encontros de oportunidades ainda serão apresentados projetos que visam melhorar a infraestrutura local, como o projeto do Anel Rodo-Hidroviário e da Ponte Marajó (Belém-Marajó Macapá-Oiapoque), que será um grande vetor de desenvolvimento regional e expansão social e econômica da região.

O arquipélago também será apresentado como um rico ponto turístico brasileiro. Dentre os principais atrativos, destacam-se as paisagens naturais com seus campos alagados, belas praias, rios com grande quantidade de peixes, rica fauna, trilhas ecológicas e fazendas centenárias de criação de búfalos. A cultura diversificada está presente nos grupos folclóricos, culinária típica, artesanato marajoara, arquitetura antiga e ruínas históricas.

Durante os dias de evento, a exposição contará com momentos de apresentações culturais, dos sabores marajoaras (queijo de búfala, açaí, entre outros produtos agroecológicos), exposição fotográfica, além de debates sobre as ações que estão sendo realizadas no local pelo Programa Abrace o Marajó.

Expo Dubai 2020 é uma importante plataforma de promoção da imagem do Brasil (Divulgação)

Expo Dubai 2020

A Expo Dubai 2020 é uma importante plataforma de promoção da imagem do Brasil, abrangendo múltiplos temas de interesse nacional, como agronegócio, cultura, e-commerce, inovação, tecnologia e turismo. No total, são esperados 25 milhões de visitantes durante os seis meses do evento.  O tema da Expo Dubai é “Connecting Minds, Creating the Future” (Conectando as mentes, criando o futuro) e reúne delegação de cerca de 193 países.

Rota do Desenvolvimento

Com ligação das cidades de Barcarena-Ponta das Pedras até o município de Afuá, a rodovia terá 295 quilômetros de extensão e objetiva a conexão do arquipélago com o resto do País por via terrestre. Será a principal obra de infraestrutura apresentada em Dubai.

Para promover o desenvolvimento socioeconômico do arquipélago do Marajó, o Governo Federal pretende atrair investimentos para o setor de infraestrutura. Por isso, durante a Expo Marajó, no Pavilhão Brasil da Expo 2020 Dubai, será apresentado o projeto da Rota do Desenvolvimento local.

A iniciativa compõe o Programa Abrace o Marajó, que reúne 133 iniciativas de 16 órgãos públicos e da sociedade civil. No total, o governo prevê o investimento, até 2023, de R$ 720 milhões. Com a exposição internacional, a intenção é atrair ainda mais recursos para as ações.

“O projeto deste Anel Rodo-Hidroviário, que inclui a Ponte Marajó, e que ligaria a Belém, Macapá e Oiapoque, é uma obra essencial para a formação do maior Anel Viário da Região Norte do Brasil. Será um grande vetor de desenvolvimento econômico regional, além de garantir mais acesso a direitos para toda a população local”, avaliou a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, responsável pela coordenação do Programa Abrace o Marajó.

A ideia dessa ligação rodoviária já tem sido trabalhada pelo setor produtivo paraense, mas esbarrado nos recursos necessários. O projeto agora foi incluído nas iniciativas do Governo Federal para a região, apos apresentação da proposta pela Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa).

Obra

Para a execução da obra da Rota do Desenvolvimento do Marajó, como é chamada a rodovia, ainda serão necessários estudos geológicos, de tráfego viário, topográficos, de análise do curso das águas que atravessam o traçado, da situação fundiária dos imóveis particulares localizados no trecho, a identificação dos espaços territoriais especialmente protegidos e dos impactos ambientais e na população local. Juntas, as iniciativas necessitam do aporte de mais de R$ 4,5 milhões para serem realizadas.

Após os estudos, o projeto básico da obra é avaliado em R$ 45,2 milhões. Nesta etapa, são identificados os elementos constituintes da obra, tipos de serviços a executar, materiais e equipamentos a incorporar, subsidiar soluções técnicas globais e localizadas para a execução da obra e adequação de métodos, além de subsidiar a montagem do plano de licitação e gestão da rodovia.

Além da construção da rodovia, o saneamento básico é outro tema importante para a região. Por isso, é necessário realizar a análise da viabilidade econômica da expansão do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) para atendimento da meta estabelecida no novo Marco Legal do Saneamento Básico, no caso atendimento de 90% da população de municípios a serem selecionados da Ilha do Marajó até o ano de 2033. O estudo está orçado em R$ 430 mil.

Turismo e qualificação

Duas iniciativas podem receber investimentos internacionais a partir de roda de negócios em Dubai durante o Expo Marajó. Para fortalecer o turismo no arquipélago do Marajó, o Governo Federal vai apresentar para investidores internacionais duas iniciativas que visam à qualificação das praias da região. O objetivo é atrair recursos para executar as obras em encontros de oportunidades e negócios, que ocorrerão no Pavilhão Brasil da Expo 2020 Dubai.

O primeiro deles é a implantação, na Orla do Paracauari (Salvaterra), de estruturas integradas para a movimentação da bioeconomia local, turismo, negócios e lazer, agregando valor e trazendo emprego e renda para a região. A iniciativa está orçada em R$ 10 milhões.

A estruturação e a qualificação das praias no Marajó também serão pauta das reuniões. A proposta é desenvolver modelos de praias estruturadas considerando as diretrizes do Programa Bandeira Azul, do Ministério do Turismo, que estabelece padrões de sustentabilidade socioambiental e melhorias na oferta e na qualidade dos serviços, contribuindo para o aumento da competitividade da praia enquanto produto turístico. O projeto prevê o investimento de R$ 1 milhão.

As iniciativas integram o Programa Abrace o Marajó, que reúne 13 iniciativas de 16 órgãos do Governo Federal e da sociedade civil. No total, o governo prevê o investimento, até 2023, de R$ 720 milhões. Com a exposição internacional, a intenção é atrair ainda mais recursos para as ações.

“O Marajó é o maior arquipélago flúvio-marítimo do planeta, banhado pelo Oceano Atlântico e pelos rios Amazonas e Tocantins. Tem lindas paisagens naturais com seus campos alagados, belas praias, aliado à rica fauna, trilhas ecológicas e fazendas centenárias de criação de búfalos. É um cenário único no mundo e que merece ser preservado e melhorado. É por isso que estamos atrás de parceiros para acelerar o processo de qualificação do turismo na região”, apontou a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA